Saúde

A cor da urina pode revelar doenças

Comentário(s) 19 maio 2019

Cor urina doencas

O médico nefrologista dr. Marcos Alexandre Vieira, presidente da Fundação Pró-Rim – referência nacional em tratamento e transplantes renais (www.prorim.org.br) -, chama a atenção para a
importância de se observar a cor da urina. Segundo ele, um simples olhar pode prevenir doenças como uma insuficiência renal. Muito mais do que eliminar toxinas do organismo, a urina e suas manifestações de cor e aspecto, podem revelar muito sobre a saúde, especialmente dos rins.

Qual é a cor normal da urina?

R – A cor ideal da urina é amarelo claro.
Se a urina está transparente, significa que a pessoa ingeriu muita água?

R – A urina bem clara pode indicar que há água em excesso.
Quando urina está amarelo-escura é preocupante?

R – A cor pode ser considerada normal, porém é um sinal que precisa ingerir mais água.

E se ela está laranja?

R – Então pode indicar falta de água ou pigmentos de comida. Se persistir, pode ser problemas de fígado ou na vesícula. É importante consultar um médico e realizar exame para descartar qualquer problema.

Urina vermelha o que pode ser?

R – Se for persistente, pode indicar problemas no fígado, rim, próstata, infecção ou ainda um tumor.

Se a cor da urina está castanha ou marrom, qual o indicativo?

R – Indica que pode ser desidratação severa ou problemas de fígado.
Urina verde ou azul o que pode significar?

R – Pode ser de comida, medicação ou ainda infecção bacteriana.

Existe uma quantidade ideal de água para pessoas com mais de 50 anos de idade? Ou a própria cor da urina revela a quantidade certa?

R – Pessoas com 50 anos ou mais devem se hidratar sob orientação. Pessoas saudáveis o consumo em torno de 2 litros é adequado. Pessoas com doenças como insuficiência cardíaca ou renal exige a orientação médica e de um nutricionista.

Urina alaranjada pode ser consequência de remédios?

R - Urina com cor laranja pode estar muito concentrada. Além disso, medicamentos como fenazopirina podem deixar a urina laranja. Doenças do fígado também podem deixar a urina laranja ou escura

Urina vermelha levanta a primeira suspeita de ter comido beterraba?

R - Urina vermelha deve ser avaliada. Pode ser sangue na urina. A beterraba pode alterar a cor da urina também, mas é temporário e, quando o consumo é maior. Toda urina com suspeita de hematúria, ou sangue, deve ser investigada.

O paciente pode produzir excesso de bilirrubinas, que podem ser eliminadas pelos rins e colorir a urina de cor marrom?

R – Sim pode ser a presença de bilirrubinas.  A urina também pode ficar turva ou com alteração da cor pela presença de infecção ou bactérias.

Verde ou azul pode ser o corante azul de metileno, utilizado na fabricação de algumas medicações?

R – A urina verde ou azul pode ser pela presença de altos níveis de cálcio no sangue, infecção e medicamentos como sepurin.

 Em que casos são necessários procurar imediatamente um médico? 

R – Prestar atenção na cor da urina deve ser um hábito simples e que a qualquer suspeita é importante procurar um médico, pois um exame de urina pode alertar sobre algo mais sério.

Para finalizar, médico afirma que o bom aspecto da urina pode ser mantido com a ingestão de água na quantidade correta. “A água é muito importante para o organismo. Nada funciona bem sem a água. Ela mantém o aparelho renal em perfeito funcionamento, melhora o sistema cardíaco, neurológico, faz bem para a pele e estômago”, finaliza.

 

Sobre a Pró-Rim - A Fundação Pró-Rim foi fundada em 1987, em Joinville (SC), pelos médicos nefrologistas Dr. José Aluísio Vieira e Dr. Hercilio Alexandre da Luz Filho com o propósito de oferecer um tratamento mais digno e diferenciado aos pacientes renais. É reconhecida como referência nacional na área de nefrologia. É pioneira em transplantes renais no Estado e sua equipe está entre as que mais realizam transplante no país. Já ultrapassou a marca de 1600 transplantes renais, é a primeira instituição de nefrologia do mundo a receber a certificação internacional Qmentum. Possui unidades de hemodiálise em Santa Catarina e Tocantins e atende pacientes renais crônicos de todo o Brasil (www.prorim.org.br)

Edição 244

Maio 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica