Saúde

A importância da imunização

Comentário(s) 27 junho 2017

No mês em que comemoramos a importância da imunização e de manter as vacinas em dia, o foco acabou sendo outro: o desinteresse da população pela vacinação. Um exemplo é a baixa procura registrada pelo Ministério da Saúde com as ações de vacinação contra a gripe: a estimativa era vacinar cerca de 48 milhões de pessoas em todo o Brasil, porém apenas 35,1 milhões receberam a imunização.

A baixa procura tem preocupado especialistas, que veem a ação como preventiva para a saúde de toda a população. As campanhas têm como objetivo conscientizar a população sobre a importância de manter todas as vacinações em dia, independentemente da idade, diminuindo a probabilidade de contrair diversas doenças, como Caxumba, Tétano, Hepatite A e B, formas graves de Tuberculose, Meningites, Febre Amarela, Pneumonia, gripe, entre outras.

Para se ter uma ideia, em 2016, o Estado de São Paulo teve o maior número de casos registrados de caxumba, uma média de 13 registros por dia, totalizando cerca de 4.193 casos. Para o médico infectologista do Hospital Moriah, dr. Fernando de Oliveira, o aumento no número de pessoas que contraiu a doença é devido à falta de cobertura vacinal adequada em determinadas pessoas, propiciando desta forma a circulação do vírus.

O médico explica que as vacinas podem ser produzidas com os agentes vivos causadores das doenças (vacinas atenuadas), bem como com os agentes mortos (vacinas inativadas). “Quando tais agentes artificiais entram em contato com o nosso organismo, nosso corpo produz anticorpos que o combatem e, por isso, criamos imunidade”, diz ele.

Doenças que podem ser evitadas graças às vacinas

- Poliomielite: é uma doença causada por um vírus e é caracterizada por fraqueza súbita, geralmente nas pernas. Encontra-se erradicada no nosso país, graças à cobertura vacinal adequada.

- Coqueluche: também conhecida como tosse comprida, é uma doença infecciosa que compromete o aparelho respiratório e se caracteriza por ataques paroxísticos de tosse seca.

- Rubéola: é uma doença provocada por um vírus. Pode provocar febre e manchas vermelhas na pele. Sua apresentação mais grave é a forma congênita, quando a mãe transmite a doença para o feto.

- Febre amarela: é uma doença causada por um vírus transmitido por vários tipos de mosquitos. A forma da doença que ocorre no Brasil é a febre amarela silvestre, que é transmitida através da picada pelos mosquitos Haemagogus.

- Difteria: é causada por uma bactéria produtora de uma toxina que pode atingir as amígdalas, a faringe, o nariz e a pele, onde provoca placas branco-acinzentadas.

- Hepatite B: é uma doença causada por um vírus e quando cursa com sintomas, pode provocar mal-estar, febre baixa, dor de cabeça, fadiga, dor abdominal, náuseas, vômitos e aversão a alguns alimentos. O doente pode ficar com a pele de coloração amarelada.

- Tuberculose: é uma doença transmissível que afeta principalmente os pulmões. O principal sintoma é a tosse (seca ou produtiva) persistente por mais de três semanas.

- Hepatite A: é uma doença contagiosa, causada pelo vírus da hepatite A. Costuma ocorrer mais frequentemente na infância.

- Papilomavírus Humano (HPV): sua infecção pode não causar sintomas ou se caracterizar pela presença de verrugas, principalmente na região genital. A infecção persistente por determinado subtipos deste vírus pode levar ao desenvolvimento do câncer de colo do útero, nas mulheres.

- Meningite C: Meningites são inflamações nas membranas que recobrem o sistema nervoso central (as meninges). A Neisseria meningitidis (conhecida como meningoco) é uma das causas mais comuns de meningite nas crianças.

- Pneumonias: A pneumonia é caracterizada pela infecção dos pulmões e pode ser causada por diversos agentes. O Streptococcus penumoniae (pneumococo) é o principal agente causador desta doença. A pneumonia é a terceira maior causa de mortes do mundo.

- Gripe: A influenza (gripe) é uma doença respiratória de origem viral e que pode levar ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores de risco para as complicações da doença.

- Tétano:Doença considerada grave e frequentemente fatal, é causada por uma bactéria que contamina ferimentos e pode ser encontrada no solo e até mesmo em objetos. Para evitar a contaminação, é necessário vacinar a pessoa desde criança.

- Varicela: Mais conhecida como catapora, à doença é infecciosa e contagiosa por um vírus que atinge principalmente crianças com menos de 10 anos. A epidemia pode ocorrer pelo contato aéreo com gotículas de saliva em espirros, tosse, bem como por meio do contato direto com as lesões de pessoas doentes.

- Caxumba: É uma infecção viral que atinge as glândulas parótidas, ocasionando inchaço e desconforto na região, além de outros sintomas, como febre, por exemplo. É uma doença mais comum entre crianças, porém nos últimos anos teve um aumento da proliferação de casos entre adultos pela falta de cobertura vacinal adequada em determinadas pessoas.

- Rotavírus: Ocasionado por um vírus, é uma das causas mais comuns de diarreia em um nível mais grave em jovens e crianças.

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica