Saúde

A importância do diálogo na primeira infância dentro e fora de casa

Comentário(s) 23 junho 2019

pais filhos

A primeira infância, conhecida também como período pré-escolar, é uma fase caracterizada pelo desenvolvimento físico e mental específico que abrange várias características. É nessa época que a criança começa a melhorar a motricidade ampla e, por isso, gosta muito de correr, saltar e pular, fazendo com que suas atividades motoras se multipliquem. Neste período, elas estão ávidas por novos conhecimentos, aprimorando também a fala.

O ensino na primeira infância é um dos mais importantes. É durante esse momento que os pequenos aprendem por meio de relações concretas e o abstrato é extrínseco às suas condições de raciocínio e visão de mundo. Ou seja, para seu entendimento, o aprendizado ocorre por meio do que visto, ouvido e sentido pelos exemplos dos pais e adultos.

Isso porque o que assimilamos neste período é eternizado em nós, perfazendo um conhecimento para o resto de nossa existência, estabelecendo os valores e modelos morais que seguirão conosco. Portanto, ensinar os filhos as diferenças entre o bem e o mal, entre o certo e errado, dar limites e sustentar uma autoestima é essencial neste momento. Podemos comparar os ensinamentos e desenvolvimento dos valores nessa fase tal como uma árvore, na qual, a raiz, caule, galhos e toda sua estrutura se estabelecem neste e momento e apenas progridem ao longo do tempo.

Por isso, o diálogo é essencial! Educadores e pais precisam dar prioridade para um formato de relacionamento transparente, aberto com possibilidade e troca de ideias. É importante potencializar na primeira infância a capacidade de empatia mútua entre os membros de uma família, favorecendo uma vida tranquila e saudável no futuro.

Durante essa época, alguns problemas surgem, entre eles, o desenvolvimento físico, intelectual ou por conflitos de interação social. Essas são as áreas de maior preocupação entre educadores e pais. Alguns sintomas são sutis na primeira infância e podem passar despercebidos, principalmente pelo envolvimento emocional com a criança. Por isso, é imprescindível que os pais se mantenham informados e possibilitem ao educador a abertura para tirar quaisquer dúvidas sobre seus filhos.

As principais dificuldades no diálogo estão relacionadas aos mecanismos de defesa em que a resistência se torna um hábito. Para que isso não gere uma questão ainda maior, o diálogo aberto precisa existir na rotina da casa como fator constante no relacionamento entre todos os familiares.

Entre os cuidados do ensino na primeira infância, está a ajuda profissional de um psicólogo, pois ele será capaz de diagnosticar os sintomas e prevenir o agravamento de problemas. Neste período serão identificados quais as causas dos desajustes e o atendimento psicoterapêutico será utilizado quando necessário.

Portanto, é necessário que os pais participem ativamente da vida dos filhos, contribuindo para que os resultados cheguem mais rápido e que o sucesso seja alcançado a longo prazo. Muitos são os benefícios ao nos atentarmos para a formação da personalidade na primeira infância, ajudando a construir um futuro saudável, promovendo os ajustes e favorecendo total integração social e afetiva.

Por Beatriz Campos,é psicóloga clínica na Telavita, marketplace de saúde que conecta pacientes a profissionais de psicologia. Coach educacional, especialista em atendimento infantil e à família

Edição 245

Junho 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica