Saúde

Acupuntura: verdades e mitos

Comentário(s) 11 maio 2015

José Rubens Carvalho

José Rubens Carvalho

No transcorrer destes anos, atenden­do pessoas de todos os tipos e clas­ses sociais, recebi muitos questio­namentos sobre como atuava a “mágica” das agulhas, se funcionava mesmo, se eram reais os benefícios obtidos, ou se era do imaginário da pessoa atendida. Resolvi juntar alguns des­ses questionamentos e tentar esclarecê-los.

- Acupuntura dói.

MITO. Apesar da técnica mais utilizada ser a punção de agulhas (finíssimas, sólidas e fle­xíveis), o paciente não sente dor. O que ocor­re é uma leve sensação da “picada”, calor, for­migamento ou leve pressão na área da agu­lha. Após alguns minutos o paciente sente-se sonolento e com um profundo relaxamento. Muitas vezes, a “dor”pode estar associada à ansiedade do desconhecido.

- Tenho medo de agulhas, e por isso não fa­ço uso desta terapia.

MITO. Acupuntura é um conjunto de téc­nicas que visam à estimulação de acupon­tos, e a agulha é somente uma das técnicas. Os pontos podem ser estimulados pelo la­ser, magnetos, mesa, digitopressão, auricu­loterapia, entre outras técnicas não invasi­vas. Você pode, sim, se beneficiar do trata­mento de Acupuntura.

- Acupuntura é indicada para qualquer ti­po de doença.

VERDADE. Partindo do princípio que ela trata o desequilíbrio energético com o qual o organismo do paciente está sofrendo, to­das as patologias podem ter uma melho­ra com ela.

- Não existe contraindicação.

MITO. A técnica trabalha com a “reorga­nização” da energia do paciente. Existem si­tuações específicas nas quais não se reco­mendam a estimulação de alguns pontos: gestantes, pessoas de constituição física frá­gil e crianças.

- Não é necessária a utilização excessiva de pontos no tratamento.

VERDADE. Uma avaliação criteriosa do paciente pelo acupunturista determina com exatidão a origem ou origens do problema de forma eficaz. A partir daí, é feita a es­colha dos acupontos para tratar este dese­quilíbrio energético. Em geral, com quatro ou cinco pontos, que se refletem em oito ou dez agulhas. Porém, existem alguns casos em que se podem utilizar agu­lhas em maior ou menor nú­mero.

- Acupun­tura só funcio­na se eu acre­ditar nela.

MITO. Man­tendo uma ati­tude positiva, provavelmente, não só a Acu­puntura, como também outros tratamentos terão seus resultados otimizados. Porém, a maneira de atuação da Acupuntura é mais complexa, pois estimula a liberação de en­dorfinas, afeta as reações imunológicas, o que independe da crença do paciente. Vo­cê não precisa acreditar para experimentar seus benefícios.

- Acupuntura trata a dor.

VERDADE. As dores em geral respondem bem à Acupuntura, uma vez que a técnica es­timula a atividade das endorfinas, que são um analgésico do próprio organismo.

- As agulhas têm energia ou algum tipo de medicamento.

MITO. As agulhas são feitas de material inerte e não possuem “energia” ou qualquer outra substância para fins terapêuticos. O que ocorre é que com o estímulo das agulhas em determinados pontos do corpo, o orga­nismo produz substâncias analgésicas e an­ti-inflamatórias.

- As agulhas podem transmitir doenças co­mo AIDS e hepatite entre pacientes.

MITO. As agulhas são de uso único e des­cartável, o que anula o risco de qualquer transmissão.

- As agulhas podem ser aplicadas por ci­ma da roupa.

MITO. Não se toma injeção ou vacina des­ta forma, certo? Apesar de as agulhas serem finíssimas e aplicadas sob a superfície, é ne­cessário o contato com a pele sem barrei­ras físicas.

Entre verdade e mitos, não se prive dos benefícios que a Acupuntura pode trazer à sua vida.

Dr. José Rubens é acupunturista do Espaço Saúde REIASHI. Tels. 11-4216-0690, 99716-9435

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica