Saúde

Álcool e gravidez

Comentário(s) 18 setembro 2015

A ingestão excessiva de álcool no período da gestação pode desencadear a Síndrome do Alcoolismo Fetal (SAF), que implica problemas graves e irreversíveis ao bebê. Esse transtorno pode comprometer o sistema nervoso da criança e gerar malformação congênita facial, neurológica, cardíaca e renal; déficit de crescimento; atraso no desenvolvimento neuropsicomotor; prejuízos no desenvolvimento cognitivo e comportamental, entre outros.

A criança com SAF pode apresentar ainda baixo peso ao nascer, microcefalia, alterações na visão e na audição, alterações neurológicas como convulsões, baixo QI, distúrbios comportamentais, dificuldade de aprendizagem, linguagem, memória e atenção. Tais sintomas variam e se diversificam já que a passagem do etanol pela placenta e o grau de metabolização pelo fígado são variáveis.

Ginecologista e obstetra, Mariana Halla explica que o álcool atravessa a placenta pelo sangue materno e concentra-se no liquido amniótico, que funciona como um reservatório. Cerca de 40 a 60 minutos após a ingestão, os níveis de álcool no sangue fetal são iguais ao materno. Entretanto, o organismo do feto não está apto a metabolizar o álcool, permanecendo, desse modo, com uma concentração elevada, ou seja, o feto demora duas vezes mais para eliminar o álcool do que a mãe. Ele sente seus efeitos por muito mais tempo e mais intensamente.

De acordo com a médica, diagnosticar a Síndrome do Alcoolismo Fetal é complicado, porque não existe um exame laboratorial que a comprove. “Para isso, é feita uma avaliação clínica, levando em conta o histórico da paciente, observando seu comportamento, bem como suas alterações físicas e o desenvolvimento do feto”, esclarece.

Não existe cura para a SAF, mas o tratamento deve ser feito de forma multidisciplinar, incluindo prescrição de medicamentos para certos sintomas, terapia cognitiva comportamental, treinamento com os pais, acompanhamento fisioterápico para os problemas de coordenação motora e acompanhamento psiquiátrico para demais transtornos mentais.

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica