Saúde

Anemia x desenvolvimento infantil

Comentário(s) 25 janeiro 2016

A anemia ferropriva (por deficiência de ferro) é a carência nutricional mais prevalente no mundo, acarretando prejuízos a curto e longo prazo na aprendizagem, desenvolvimento neuropsicomotor e na resposta imunológica do paciente ou da criança. Com impacto direto na qualidade de vida, a prevalência da doença no Brasil, segundo estudos médicos, é de mais de 50%. No mundo, dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que a enfermidade atinge cerca de 30% da população, o que representa cerca de 2 bilhões de pessoas.

Os sinais e sintomas mais frequentes são a falta de apetite, palidez, apatia, tontura, adinamia (redução da força muscular e fraqueza), perversão do apetite (geofagia), cansaço e dificuldade para realizar atividades físicas. “O leite materno é considerado um dos principais fatores de proteção contra a anemia ferropriva, enquanto, por outro lado, a introdução precoce de alimentação complementar e pouco tempo de aleitamento materno, muitas vezes, são as principais causas do problema”, esclarece Renata Mazzotti, pediatra do Hospital Santa Catarina (SP).

A especialista elenca cinco dicas para ampliar as chances de prevenir e curar a doença:

  • Aleitamento materno: incentivar o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida do bebe é vital para qualquer criança. Toda e qualquer alteração no ‘cardápio’ deve sempre ter a recomendação/orientação do médico especialista;
  • Alimentação saudável: o segundo passo é manter uma alimentação saudável, aumentando o consumo de alimentos como carnes (bovina, peixes, aves), vísceras (fígado), gema de ovo, hortaliças (couve, brócolis, espinafre);
  • Atenção redobrada com os sinais: observar os sintomas que falamos anteriormente e tendo qualquer dúvida procurar o pediatra da criança é outra dica-chave Caso a anemia se confirme no hemograma, é necessária a suplementação de ferro, por três a quatro meses, ou até normalização dos exames laboratoriais;
  • Cuidados desde a gestação: os cuidados para prevenir a anemia começam ainda durante a gestação. Para verificar quais as deficiências de vitaminas e nutrientes da gestante é importante realizar também o hemograma, exame que é solicitado sempre no início do pré-natal;
  • Crianças de seis meses a dois anos: é nessa fase, quando o desenvolvimento e o crescimento são acelerados, que o organismo necessita de uma quantidade de ferro maior, aumentando as chances de desenvolver a doença. Fique atento!
Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica