Estética

Celulite ou retenção hídrica?

Comentário(s) 25 março 2017

celuliteUm dos terrores do público feminino é a celulite. Esta alteração afeta 85% a 98% das mulheres após a puberdade. Os temidos furinhos na pele – causados pela inflamação e acúmulo de água no tecido adiposo – podem ser sinônimo de pesadelo na hora de colocar o biquini ou até usar uma roupa mais justa.

A nutricionista Gabriella Alves, da Corpometria – Centro de medicina avançada em avaliação corporal, diz que uma das principais reclamações das mulheres no consultório é sobre a celulite. “Frequentemente ouço das minhas pacientes: ‘estou cheia de celulites’. O que a maioria não sabe é que na verdade pode não ser celulite, mas sim uma retenção hídrica que também causa irregularidades na pele”, explica.

Existem vários graus de celulite, mais especificamente quatro. Na celulite grau 1, as alterações não são muito visíveis e na maioria das vezes só é possível vê-las quando uma pressão é feita com os dedos em forma de pinça. No grau 2 já estão visíveis sem precisar fazer qualquer tipo de pressão na pele. A situação no grau 3 já é considerada mais grave e o local da celulite pode se tornar doloroso. O grau 4 é o mais grave, pois existe a formação de nódulos de fibrose e que se tornam muito doloridos e deixam alguns pontos da região afetada enrijecidos.

Mas será que o que você denomina celulite, é celulite mesmo? Será que toda ondulação ou volume na pele é considerada celulite? Gabriela explica que para que ela seja caracterizada é preciso conter tecido adiposo, água e inflamação. “Algumas dessas mulheres que se queixam sobre celulite sequer possuem acúmulo de gordura suficiente para caracterizar esse quadro”, exemplifica a nutricionista.

Entra então um ponto chave: quanto de água você bebe? Quantas vezes vai ao banheiro? Qual a coloração da sua urina? “As respostas, frequentemente, são similares: “Menos do que eu deveria”, acrescenta Gabriella. Mas o que isso tem a ver com a celulite? Tudo! A retenção hídrica também causa irregularidades na pele e se o balanço hídrico, ou seja, a quantidade de água do corpo não estiver correto pode facilmente existir um equivoco quanto a causa das “celulites”.

Em poucos dias, quando o balanço hídrico é normalizado, muitas dessas “celulites falsas” desaparecem. “Caso realmente se tratasse do que se pensava, elas seriam derivadas do tecido adiposo inflamado e, de modo algum, seriam eliminadas em uma semana”, reafirma a nutricionista. Experimente consumir a quantidade de água necessária, 40ml de água para cada quilo de peso, e evite alimentos que causem retenção, como sal, açúcar, embutidos, fast-foods, derivados de farinha branca, refrigerantes e alimentos industrializados e ricos em sódio.

Para evitar o sal você pode substitui-lo por sal de ervas, que é fácil e simples de preparar em casa (receita abaixo). Além de conter ervas que promovem a eliminação do excesso de líquidos, ele ressalta o sabor dos alimentos, fazendo com que menos quantidade do sal seja necessária no preparo.

O consumo de alimentos diuréticos, como salsão, chá de hibisco e chá de cavalinha, também é bem-vindo. Mesmo se o motivo das suas irregularidades não for somente retenção, combatê-la também é importante para reduzir o acúmulo de água no tecido adiposo e, consequentemente, reduzir o grau da sua celulite. Talvez o seu problema seja mais fácil de resolver do que você pensa!

Sal de ervas

2 xícaras de sal marinho, sal do himalaia ou sal grosso

1 xícara de manjericão fresco

1 xícara de alecrim ou salsinha frescos

1 xícara de cebolinha fresca

Modo de fazer:

Bata o manjericão, a cebolinha e o alecrim lavados e secos no multiprocessador/ liquidificador. Acrescente o sal aos poucos e bata bastante. Coloque em uma vasilha de vidro com tampa e armazene na geladeira por até 4 meses.

 

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica