Saúde

Cinco verdades sobre o câncer de mama

Comentário(s) 06 outubro 2017

Em outubro, quando se celebra o Movimento Outubro Rosa, que visa conscientizar a população quanto aos riscos do câncer de mama, muitas pessoas refletem sobre os próprios conhecimentos acerca da doença. Todavia, há muitos rumores sobre o câncer de mama e a sua detecção precoce que não são verdadeiros. Nem sempre é fácil distinguir os fatos. explica o coordenador de Oncologia do Hospital Santa Catarina, doutor Antonio Cavaleiro.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o câncer de mama é o tumor que mais acomete as mulheres em todo o mundo. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) também mostram que, somente no Brasil, o número de pessoas que serão acometidas por algum tipo de câncer deve chegar próximo de 600 mil casos.

O coordenador de Oncologia do Hospital Santa Catarina, dr. Antonio Cavaleiro,
destaca cinco fatos sobre o câncer de mama:

  • Realizar o autoexame mensalmente não é garantia para descartar a doença: embora o autoexame seja recomendado, a ação não é garantia de que você estará diagnosticando o câncer de mama precocemente. Nódulos palpáveis não são a única forma de manifestação da doença. A mamografia, aliada ao exame médico, são os métodos mais confiáveis na detecção precoce da doença;
  • Família sem casos de câncer não significa estar livre da doença: embora muitas pessoas acreditem que não ter casos na família é quase uma garantia de não sofrer com o câncer de mama, podemos afirmar que cerca de 80% das mulheres que sofrem com a doença nunca teve ou terá um parente com câncer de mama. A maioria dos casos é, portanto, esporádica;
  • Próteses de silicone não dificultam o diagnóstico ou aumentam o risco de câncer de mama: algumas mulheres que colocam próteses de silicone ou que buscam informações sobre a cirurgia possuem dúvidas em relação ao procedimento dificultar um possível diagnóstico da doença. No entanto, podemos afirmar que até hoje não há estudos que comprovem que estas próteses dificultem o diagnóstico;
  • Exercícios físicos são benéficos para a saúde – e podem diminuir o risco de câncer de mama: além dos exercícios físicos, perder peso ou manter o peso ideal em relação à altura, controlando o Índice de Massa Corpórea (IMC), diminui o risco de ter câncer de mama;
  • Continuar amamentando não é prejudicial ao bebê quando há uma suspeita de câncer de mama: apesar de algumas mães acreditarem que o bebê pode ter algum risco ao continuar a amamentação, isso é um mito, já que as células cancerosas não passam para a criança por meio do leite materno.

 

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica