Esportes

Como praticar hipismo

Comentário(s) 26 agosto 2016

hipismo

A elegante e milenar arte de montar a cavalo surgiu em 1.360 a.C, quando foi elaborado o primeiro tratado de adestramento pelo treinador e professor de equitação Kikkulis, do antigo reino de Mitanni. Durante a Rio 2016, o hipismo mais uma vez marcou presença, sendo disputado nas modalidades adestramento, salto e Concurso Completo de Equitação (CCE), e chamou atenção de curiosos que conheciam pouco do esporte. O período olímpico contou ainda com uma ampla campanha mundial, desenvolvida pela Federação Equestre Internacional (FEI), órgão regulador global do hipismo. Intitulada #2Corações, a campanha apresentou um novo olhar sobre o esporte de uma forma nunca antes feita, celebrando a relação singular entre cavaleiros e seus cavalos e como seus dois corações batem como um só na corrida para a vitória.

Com o término das Olimpíadas, fica a pergunta: por onde começar a treinar?

As escolas de equitação são os lugares ideais para a prática do esporte de iniciantes. Em aulas empolgantes e desafiadoras, o aluno tem a oportunidade de conhecer todos os comandos de controle do cavalo, além de aprender a galopar, fazer exercícios de equilíbrio e, ainda, saltar e percorrer trajetos com obstáculos diferentes e de variados graus de dificuldade. E o aprendizado não para por aí: mais do que conduzir o cavalo, os iniciantes aprendem a lidar com o animal, prepará-lo para a prática e, sobretudo, respeitá-lo. A anatomia do cavalo, seu aparelho digestivo, seus hábitos alimentares e a busca pela relação sincera entre o homem e o animal são algumas das premissas para quem quer iniciar no universo do hipismo.

As aulas de equitação vão desde o primeiro contato com o animal com instruções básicas até que se alcance níveis para participar de competições. Com duração média de 45 minutos, em duas ou três lições o aluno cavaleiro passa a conduzir seu cavalo com confiança para os primeiros trotes e galopes. E, com a evolução da montaria, o cavaleiro pode optar por modalidades diversas, como Salto, Adestramento, Volteio etc. Começar a praticar hipismo é simples e exige apenas a apresentação da carteira de vacinação e uma avaliação médica, algumas vezes oferecida na própria hípica.

Sem limite de idade – de 2 a 90 anos

Para os pequenos, dos 18 meses até 12 anos, a opção são os pôneis, que permitem o desenvolvimento de todas as habilidades necessárias à prática do hipismo.

O esporte é um dos poucos que pode ser praticado por pessoas de várias faixas etárias – a partir dos 5 anos de idade. Não é à toa que registra dois dos atletas mais velhos na disputa dos Jogos Olímpicos – o austríaco Arthur Von Pongracz, que tinha 72 anos durante as Olimpíadas de 1936, em Berlim; e a britânica Lorna Johnstone, que com 70 anos participou das provas de 1972, em Munique. Na Rio 2016, a neozelandesa Julie Brougham, amazona de hipismo adestramento, foi a atleta mais velha dos Jogos e mais: fez sua primeira estreia olímpica no esporte. Enquanto a equipe mais jovem das Olimpíadas foi o Time Brasil de hipismo adestramento, composto por Luiza e Pedro Almeida, João Victor Oliva e Giovana Pass.

Algumas pessoas buscam o hipismo não somente para praticar. Para alguns, montar a cavalo é uma terapia. A equoterapia, por exemplo, surgiu a partir dessa necessidade. Trata-se de um método que utiliza o animal, mesclando as áreas de saúde, educação e equitação, em busca do desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência ou necessidades especiais. E, ainda, é uma opção para trabalhar a coordenação motora, tonificar os músculos e emagrecer.

 

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica