Saúde

Como se alimentar durante a gravidez

Comentário(s) 06 novembro 2019

Uma das expressões mais conhecidas quando o assunto é gravidez é que a mãe deve se alimentar por dois. Essa é uma afirmação errada: só aumentar a quantidade de calorias não colabora para uma gestação saudável. O ideal é equilibrar as refeições, aproveitar o máximo de cada nutriente e conhecer quais refeições contri­buem para o bem estar da gestante.

A nutricionista dra. Patrícia Diz fala sobre as necessidades calóricas durante a gestação, que variam de acordo com o peso pré-gesta­cional, estágio da gra­videz, nível de ativida­de física e aumento do metabolismo basal. De modo geral, recomen­da-se que haja um au­mento de 300 calorias na ingestão a partir do 2º e 3º trimestres.

Alguns nutrientes fundamentais em qual­quer dieta são ainda mais necessários en­quanto se gera outra vida. Cálcio, ferro, áci­do fólico junto com as vitaminas A e C são alguns dos elementos que devem ser con­sumidos em uma quantidade maior – esses são encontrados em laticínios, ovos, verdu­ras (em especial nas de folhagens escuras), leguminosas e frutas.

Segundo a dra. Patrícia, alguns hábitos pre­cisam ser evitados. A cafeína pode gerar agita­ção no bebê, causar náuseas e azias, além de induzir a constrição do sistema sanguíneo do feto e diminuir a absorção de ferro. O álcool também deve ser evitado, pois prejudica o de­senvolvimento do filho. Alimentos crus devem ser devidamente higienizados com soluções de hipoclorito de sódio em água e, quando a ges­tante comer fora de casa, eles devem ser evita­dos, principalmente em culinárias com peixes e outros ingredientes não cozidos.

A desatenção com o peso na gestação tem implicações imediatas e a longo prazo, tanto para mãe quanto para o feto. “A desnutrição está ligada a fatores de risco, complicações e resultados adversos na gravidez, especialmen­te o baixo peso ao nas­cer. Estudos apontam que o ganho excessivo de peso pode aumen­tar a associação com diabetes mellitus ges­tacional e síndromes hipertensivas. O exagero pode gerar obesi­dade ao filho, já que o aumento de gordura corporal em recém-nascidos está ligado ao risco de obesidade em outras etapas da vi­da”, ressalta a nutricionista.

De acordo com a nutricionista, o plano ali­mentar durante a gravidez deve contar com uma dieta dividida em cinco ou seis refeições bem coloridas. A partir do segundo trimes­tre de gestação, o próprio apetite da mulher vai pedir um aumento de calorias e de con­sumo de água que pode ser mantido até o período de amamentação.

Foto: Freepik

Edição 249

Outubro 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica