Estética

Conheça as técnicas eficazes no combate à celulite

Comentário(s) 20 setembro 2017

celulite

A celulite atinge até 95% das mulheres, principalmente nas fases sujeitas às alterações hormonais, como a puberdade, gravidez e uso de pílulas anticoncepcionais. As causas que dão origem à celulite não são totalmente conhecidas.

No nosso organismo algumas células chamadas adipócitos têm a função de acumular energia, sob a forma de gordura, para ser usada quando necessário. Estas células se localizam na hipoderme, a camada mais profunda da pele. Nas mulheres esta camada apresenta fibras, que fazem sua ligação até a superfície da pele, como em um colchão de molas. Estas pontes fibrosas repuxam a pele para baixo, dando o aspecto de furinhos na pele, característico da celulite.

A hereditariedade e as alterações hormonais e enzimáticas levam a uma alteração circulatória, com acúmulo de líquidos e proteínas nas células de gordura e provocam irregularidade do tecido subcutâneo, que leva ao aspecto visual de casca de laranja.

Para efeito de classificação, a celulite pode ser dividida em:

  • Grau 1: os furinhos só são percebidos quando a pele é comprimida. Pode aparecer até mesmo nas crianças, sendo mais comum nas adolescentes
  • Grau 2: os furinhos já são percebidos sem comprimir a pele. Passando a mão sobre a pele, já se percebe uma ondulação, sendo possível sentir alguns nódulos
  • Grau 3: as irregularidades são visivelmente notadas. A pele tem aspecto parecido à casca de laranja com uma quantidade moderada de nódulos
  • Grau 4: os nódulos são bastante perceptíveis e têm consistência endurecida, a circulação já está comprometida, demonstrando que já houve formação de fibrose. Pode haver dor local.

Existem diversos tratamentos:

Radiofrequência: É um aparelho que, através do efeito da corrente elétrica alternada de alta frequência, induz calor nos tecidos dérmicos (calor endógeno). O objetivo do tratamento é aumentar a temperatura da derme para se alcançar uma temperatura local de 40 ºC a 43 ºC, o que desencadeia uma sequência de reações fisiológicas: o aquecimento do tecido promove regeneração do colágeno, quebra de tecido adiposo e fibroso, aumento da circulação e drenagem de fluidos.
Em poucas sessões os resultados já são visíveis.

Carboxiterapia: A carboxiterapia consiste na infusão do gás carbônico no tecido subcutâneo, utilizando-se uma agulha muito fina. A ação farmacológica do gás carbônico sobre os tecidos está muito bem estudada; promove a vasodilatação local, com consequente aumento do fluxo vascular e da pressão parcial de oxigênio, há redução da afinidade da hemoglobina pelo oxigênio, resultando em maior quantidade disponível para o tecido, melhorando a microcirculação e a oxigenação dos tecidos. Além disso, o efeito mecânico da infusão do gás ajuda a dissolver os nódulos de celulite e a ruptura das células de gordura.

NARL: significa NorAdrenalinReLease (liberação de Noradrenalina). Esta é a primeira tecnologia mundial, cientificamente comprovada, que age diretamente na quebra de gordura visceral e local através da liberação local de Noradrenalina. A tecnologia é baseada em uma combinação específica, segura e patenteada de intensidade e frequência de ultrassom. A onda específica de ultrassom estimula o terminal do nervo simpático a liberar localmente a Noradrenalina nos tecidos adiposos. A liberação da Noradrenalina ativa a quebra de gordura dentro dos tecidos adiposos em 2 metabólitos, chamados ácidos graxos e glicerol. Estes vão para a corrente sanguínea, devendo ser queimados através de exercícios físicos na plataforma vibratória.

Plataforma vibratória: O treinamento em plataforma vibratória é usado há mais de 47 anos. Teve início com os russos, no treinamento de astronautas e atletas. Atualmente a terapia de vibração tem sido usada em hospitais, academias, clínicas de fisioterapia e estética. A vibração mecânica gera um desequilíbrio (propriocepção), contração involuntária (reflexo miotático) e aceleração da força gravitacional (aumento do peso corporal). O gasto calórico, em 20 minutos de atividade na plataforma, chega a 300 calorias. Como resultados proporciona:

  • ativação do sistema hormonal (aumento do hormônio de crescimento e testosterona)
  • ativação do sistema neuromuscular
  • ativação do sistema vascular
  • estimulação da massa óssea (aumento de densidade)
  • REDUZ: celulite, dor muscular, desgaste articular, contratura muscular e estiramento, artralgia, estresse e ansiedade
  • AUXILIA: emagrecimento, coordenação motora e drenagem linfática

 Subcisão (subcision): esta técnica consiste na introdução de uma agulha, com ponta cortante, por baixo do furinho da celulite, para cortar as fibras que repuxam a pele para baixo, desfazendo os nódulos. É necessária anestesia local. Além de liberar a pele, o hematoma decorrente do trauma leva à formação de tecido colágeno na região, que também ajuda a elevar a pele. Após o tratamento é necessário o uso de curativo compressivo e de meias elásticas. As manchas roxas somem no período de 15 a 30 dias e o resultado é muito bom. O procedimento só pode ser realizado por médicos habilitados, está indicado nos estágios mais avançados da celulite e não deve ser feito em áreas muito extensas de uma só vez. É o único tratamento reconhecido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Endermologia: um aparelho realiza a sucção da pele por um tubo, enquanto ela é comprimida entre 2 rolos, promovendo uma massagem vigorosa, cuja finalidade é redistribuir a gordura de forma mais uniforme no tecido subcutâneo

Cremes cosméticos: geralmente indicados como coadjuvantes dos outros tratamentos, cremes cosméticos apresentam em sua composição substâncias que levam à quebra da gordura, estimulação do fluxo sanguíneo e drenagem linfática, além da suavização da superfície da pele

Lembre-se que o tratamento da celulite depende de mudanças nos hábitos alimentares e de vida e que os procedimentos acima são apenas parte dele.

Artigo da dermatologista Anelise Ghideti  (CRM 109.432), da AE Skin Center

Edição 227

Dezembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica