Esportes

Cuidados ao treinar no frio

Comentário(s) 13 julho 2016

corrida frio

Estamos no inverno e apesar dos dias frios não serem constantes – uma vez que estão alternados com dias de temperaturas mais quentes – treinar no tempo gelado não é algo que agrade a todo mundo. Porém, é preciso saber que malhar no frio traz benefícios.

Confira a lista com cuidados e benefícios relacionados à prática de atividades físicas no frio preparada pelos especialistas da Planet Sport Academia:

- Enquanto para alguns correr no frio é algo prazeroso, para outros pode ser uma tortura. Muitas pessoas podem ter dores musculares, secreção nasal, desconforto para respirar e incômodos nas extremidades o corpo. Em dias de frio intenso, o melhor é inspirar pelo nariz e expirar pela boca. Além de garantir melhor absorção do ar, permite que este chegue aos pulmões na mesma temperatura do corpo. Entretanto, esse conselho deve ser descartado quando o ritmo for muito intenso. Respirar pela boca não é errado e deve ser realizado em momentos de exaustão.

- Outro bom conselho é fazer uma climatização para diminuir o choque térmico, especialmente se a pessoa estiver treinando para disputar alguma prova. Uma boa ideia é viajar para o local da prova com alguns dias de antecedência ou treinar no horário em que a competição for acontecer.

- Dê mais atenção ao aquecimento, que deve ser, inclusive, prolongado. O corredor precisa ter mais paciência para iniciar a fase do treino e esperar o organismo atingir a temperatura corporal ideal para começar as atividades mais intensas. Se em dias normais 10 minutos são suficientes para o aquecimento, em dias frios deve-se dobrar esse tempo.

- No início, a recomendação é priorizar os exercícios articulares e alongamentos dinâmicos, exercícios técnicos, movimentos ou a própria corrida leve em ritmo. O alongamento estático não faz tanto efeito, como as novas pesquisas já comprovaram. Este deve ser feito em um momento de relaxamento da atividade ou em outra sessão isolada para obter melhores resultados na melhora da flexibilidade.

- Jaqueta corta-vento, camada segunda pele, manga longa, colete, gorro e luvas. O número de camadas e acessórios para enfrentar o frio varia não só de acordo com a temperatura, mas também com a sensibilidade do corredor. Homens tendem a sentir menos frio do que as mulheres, mas isso não é uma regra. Então, seja qual for a quantidade de peças que escolher, o importante é optar por vestuários leves, justos ao corpo e com boa transpiração.

- Com a queda na temperatura, aumenta a incidência de gripes, resfriados e crises alérgicas. Logo após o aparecimento dos primeiros sintomas, a tendência é que muitas pessoas recorram às farmácias atrás de medicamentos, como antigripais e antialérgicos. Contudo, essa conduta pode trazer muitos riscos à saúde. Quando for enfrentar o treino no inverno, a melhor forma de se prevenir é por meio de uma alimentação equilibrada, ingestão de maiores quantidades de água e, principalmente, uso de roupas com isolamento térmico adequado. Em caso de lesões, o uso indiscriminado de medicamentos pode ser ainda mais perigoso. Assim, consulte sempre um médico.

Benefícios de malhar no frio

- Um estudo feito em 2012 pela Universidade de Essex (Reino Unido) afirma que os benefícios da atividade física são maiores quando praticada ao ar livre, num ambiente natural e respirando ar puro.

-  Você queimará mais calorias. Com a perda de temperatura corporal, nosso organismo se vê obrigado a aumentar a atividade metabólica para que as células consumam mais energia e a transformem em calor, o que acarreta um maior gasto calórico.

- Reforçará o sistema imunológico. Um trabalho publicado no Journal of Applied Physiology, em 1999, concluiu que a exposição ao frio sob os efeitos do exercício aumenta o número de leucócitos e granulócitos, responsáveis pelo funcionamento do sistema imunológico. Porém, atenção! Quando adicionamos a uma atividade muito exigente ou prolongada no tempo uma temperatura exterior excessivamente baixa, o efeito pode ser o contrário e debilitar nosso sistema imunológico. Tudo tem seus limites. As pessoas idosas, as que padecem de problemas respiratórios, como a asma, e as imunodeprimidas precisam evitar as horas mais geladas.

- Melhorará o seu rendimento físico. Sim, mas atenção: antes de se pôr em ação você precisa realizar um pré-aquecimento para evitar possíveis lesões e promover a eficiência metabólica. Caso contrário, o frio poderia provar problemas musculares muito dolorosos, além de impedir um bom rendimento.

- Você ficará longe da depressão da estação. É a conclusão de uma pesquisa publicada em 2004 e realizada na prestigiada Clínica Mayo, nos Estados Unidos. Segundo os especialistas encarregados do estudo, o exercício físico libera substâncias químicas do cérebro – neurotransmissores, endocanabinóides e endorfinas – que ajudam a recobrar o estado de bem-estar. Se ficamos em casa sem nos mexermos e não aproveitamos as poucas horas de luz que há, e que também estimulam, é muito fácil nos sentirmos tomados pelo desânimo.

- Estará mais bem hidratado. Um dos maiores perigos na prática de esportes no verão é a desidratação, um quadro com muito menos probabilidades de aparecer durante o inverno, já que perdemos menos água através do suor. Além disso, com o exercício aumentamos a capacidade de plasma do sangue, que está composto por água em 90%, o que favorece a hidratação nesses meses nos quais bebemos menos.

 

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica