Estética

Cuide bem da sua pele no inverno

Comentário(s) 12 maio 2015

cremeDurante o inverno, as temperaturas mais baixas levam à diminuição do suor e da produção de óleo pelas glândulas sebáceas, que contribuem para a manutenção da umidade na pele. Além disso, o frio, ventos e a baixa umidade do ar diminuem a hidratação natural da pele, deixando-a mais ressecada e sensível. Intensificando ainda mais este ressecamento, as pessoas tendem a tomar banhos mais quentes nesta época, o que provoca uma remoção da oleosidade natural de forma mais intensa, diminuindo o manto lipídico que retém a umidade da pele.

A dermatologista Nicole Perim, especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que a pele ressecada pode ter sua função de proteção comprometida, apresentando aspereza, perda da elasticidade, descamação, rachaduras, e produzindo sintomas como coceira e ardência ao contato com substâncias irritantes. “Com esses fatores, durante o inverno algumas doenças podem ser exacerbadas por causa do ressecamento da pele, como a dermatite atópica, dermatite seborreica e a psoríase”, explica.

A dermatologista Leandra Metsavaht, diretora da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que, no caso da dermatite atópica e psoríase, as medidas preventivas são banhos frescos, rápidos, uma vez ao dia, com pouco sabonete  ou com sabonetes especiais, recomendados pelo dermatologista, sem bucha nem esfregão, além de muita hidratação, principalmente logo após o banho. “No caso da dermatite seborreica, quando é na face, a hidratação costuma funcionar bem como prevenção. Já no couro cabeludo, é necessário consultar o dermatologista para prescrever um shampoo para manutenção. Sabe-se, porém, que, no inverno, a caspa costuma voltar, mesmo que de forma leve”, diz ela.

Confira dicas da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) para manter a sua pele hidratada durante o inverno.

  •  Beber no mínimo 2 litros de água por dia.
  •  Manter uma alimentação rica em frutas, legumes e verduras.
  •  Evitar o uso excessivo de sabonetes. Utilizar sabonetes apenas uma vez ao dia.
  •  Evite banhos quentes e muito demorados; evite se ensaboar demais e usar buchas, que também contribuem para alterar a composição do manto hidrolipídico (hidratante natural produzido pelo organismo) que protege a pele.
  •  Use o hidratante logo após o banho – ainda no banheiro – com aquele vaporzinho pós-banho, pois ajuda na penetração do creme.
  •  Os lábios também costumam ressecar muito no inverno. É importante usar hidratantes labiais para evitar rachaduras.
  •  Utilizar filtro solar diariamente.

Segundo a dra. Nicole, as substâncias hidratantes ajudam a recompor o teor de água da pele e a evitar a perda da mesma através das células epidérmicas. Todos os tipos de pele precisam de hidratação, até a pele oleosa. A diferença é a escolha certa do produto a ser utilizado, por isso é importante consultar um dermatologista para saber qual formulação é a ideal para o seu tipo de pele”, explica.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia explica um pouco sobre cada uma dessas doenças, suas causas, sintomas e formas de tratamento.

Dermatite atópica

A dermatite atópica é uma doença inflamatória crônica da pele com períodos de melhora e piora. Não se sabe exatamente a causa, porém sabe-se que há um caráter familiar associado a fatores externos. Não é uma doença contagiosa e a sua frequência na população vem aumentando gradativamente.  Caracteriza-se por lesões inflamadas da pele, avermelhadas, que coçam, descamam, e acometem principalmente as dobras do corpo, como as dos joelhos, cotovelos e pescoço. Nos casos mais graves, pode acometer grande parte da superfície corporal. Portadores de dermatite atópica apresentam uma incidência maior de infecções bacterianas, fúngicas ou virais da pele. Apesar da melhora gradativa da doença com a progressão da idade, o paciente com dermatite atópica tende a manter, durante toda a sua vida, uma pele ressecada que se irrita facilmente. A dermatite atópica tende a aparecer ou a piorar quando a pessoa é exposta a certas substâncias ou condições, como o clima frio.

Dermatite seborreica 

A dermatite seborreica é uma inflamação na pele que causa principalmente escamação e vermelhidão em algumas áreas da face, como sobrancelhas e cantos do nariz, couro cabeludo e colo.  É uma doença de caráter crônico, com períodos de melhora e piora dos sintomas. A causa não é totalmente conhecida, e a inflamação pode ter origem genética ou ser desencadeada por agentes externos, como alergias, situações de fadiga ou estresse emocional, tempo frio, excesso de oleosidade.

Existem inúmeros tratamentos para controle da dermatite seborreica e alívio dos sintomas. Podem ser utilizadas substâncias que controlam a oleosidade da pele e couro cabeludo, muitas vezes em forma de shampoos e sabonetes; cremes ou loções de corticoides para alívio da inflamação e coceira; e antifúngicos; todos prescritos para cada paciente por seu dermatologista. Uma novidade é uma medicação oral, que reforça as defesas imunitárias e a função “barreira” do organismo, melhorando a dermatite seborreica.

É importante lembrar que a dermatite seborreica é uma doença crônica, que pode ser controlada com o tratamento correto e após com tratamento de manutenção para tentar evitar recidivas.

Psoríase

A psoríase é uma doença da pele relativamente comum, crônica e não contagiosa. Em geral são lesões arredondadas, vermelhas e descamativas, nas áreas extensoras dos membros, mas podem aparecer por todo o corpo. As lesões de psoríase tendem a piorar durante o frio, devido ao ressecamento da pele no inverno.

É uma doença cíclica, ou seja, apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem periodicamente. Sua causa é desconhecida, mas sabe-se que pode ter causas relacionadas ao sistema imunológico, às interações com o meio ambiente e à suscetibilidade genética.

Há vários tipos de psoríase, e o dermatologista poderá identificar a doença, classificá-la e indicar a melhor opção terapêutica.

Saiba mais: http://www.sbd.org.br/

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica