Saúde

Dermatite atópica pode ser controlada

Comentário(s) 21 março 2016

Dermatite atópica é uma doença crônica que causa inflamação da pele, levando ao aparecimento de lesões e coceira. Em geral, começa na infância, e pode durar até a fase adulta. É muito comum a presença de casos familiares (genética) e pode acompanhar outras doenças alérgicas como asma, bronquite e rinite. Acomete cerca de 10% a 15% da população.

“Na infância, as lesões de pele são mais avermelhadas, e localizam-se na face, tronco e superfícies externas dos membros. Nas crianças maiores e adultos, as lesões localizam-se mais nas dobras do corpo, como pescoço, dobras do cotovelo e atrás do joelho, e são mais secas, escuras e espessadas. Em casos mais graves, a dermatite atópica pode acometer boa parte do corpo e acredita-se que fatores ambientais estejam envolvidos”, esclarece a dermatologista Livia Pino, professora da Faculdade de Medicina de Valença.

dermatitePessoas com dermatite atópica são mais suscetíveis a contrair infecções causadas por fungos e vírus, já que sua imunidade não é satisfatória, como, por exemplo, herpes, verrugas etc. “A pele do atópico é muito seca e isto tende a se manter até a fase adulta, e muito sensível a substâncias irritantes, como cosméticos, tecidos, materiais de limpeza etc. Em geral, começa no rosto e depois pode se espalhar para todo corpo. Mais comumente, as lesões se localizam próximo às dobras, como pescoço, atrás dos joelhos, pálpebras, ao redor da boca, tornozelos, glúteos”, explica a médica.

De tanto coçar a pele pode engrossar, ferir, e formar até cicatrizes. Alguns fatores internos e externos podem agravar a dermatite tais como estresse emocional, exposição a alergenos, condições que ressequem mais a pele, poeira, lã e tecidos sintéticos, infecções, frio intenso e baixa umidade, produtos de limpeza e detergentes.

“Infelizmente não existe cura, mas existe controle da doença e em alguns casos controla espontaneamente com o passar dos anos. O tratamento não é simples e envolve mudança de hábitos de vida”, ressalta a especialista. “Pode ser feito com antialérgicos, hidratantes, algumas vezes antibióticos, corticoides e imunomoduladores. Algumas vezes indico um suporte psicoterápico para o paciente e as vezes para a família também.”

A dermatologista dá algumas dicas de cuidados que são importantes para quem tem dermatite atópica:

- Evitar banhos quentes, pois ressecam mais a pele.
- Banhos com sabonetes em todo corpo só 1 vez ao dia.
- Usar sabonetes menos abrasivos, hidratantes, sem muito perfume e cor.
- Evitar uso de buchas e sabonetes esfoliantes.
-  Hidratantes. Esta é uma das regras mais importantes para peles que sofrem com dermatite atópica. De preferência 2 a 3x ao dia. A melhor hora para hidratar o corpo é logo após o banho (regra dos 3 minutos), pois a pele úmida é capaz de absorver melhor o hidratante.
- Evitar usar qualquer medicamento e receita caseira que não seja prescrito pelo seu médico! Muitas ervas usadas pela população, podem agravar a doença.
- Afastar do paciente bichos de pelúcia, animais domésticos com pelos, tapetes, cortinas, e tudo que possa acumular poeira, ácaros.
- A casa deve ser limpa com pano úmido evitando usar vassoura, para não levantar o pó.
- Colocar o travesseiro e colchão no sol quando possível.
- Arejar bem a casa.
- Evitar uso de perfumes.
- Evitar contato com substâncias que possam causar alergias, ou irritar mais a pele como materiais de limpeza, cosméticos não adequados.
- Dar preferência a roupas de algodão e evitar tecidos sintéticos

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica