Saúde

Educar em um mundo acelerado: como lidar?

Comentário(s) 11 março 2019

vanessa sardiscoNesta época de cons­tantes inovações e informações rápi­das está difícil compreender as gerações atuais, em que a agitação e as tecnologias es­tão cada dia mais presentes. Com isso, as pessoas estão se afastando uma das outras, di­ficultando a comunicação e o lazer entre elas.

Nesse sentido, também nas famílias os pais podem estar confusos e pre­ocupados com a educação de seus filhos. Ao mesmo tempo em que não sabem como li­dar com essas atualidades, recorrem a esses meios para repreensão ou até para substituir os diálogos com seus filhos. De fato, talvez essa seja a forma mais fácil e rápida de ten­tar controlar o filho. Mas, será que é a me­lhor maneira de educar?

Certamente que a tecnologia está presente e é preciso compreendê-la e aceitá-la. Des­sa forma, precisa-se de estratégias para pro­porcionar um ambiente facilitador de aceita­ção, cuidado e limite. Consequentemente, os filhos terão mais confiança nos seus pais se eles mostrarem mais espaço para compreendê-los sem jul­gamentos e podendo dividir suas angústias e sentimen­tos sem desconfiar de uma suposta punição.

É necessário que o diálogo e o acolhimento estejam pre­sentes na relação entre pais e filhos. Isto é, colocar limites e responsabilidades também é um sinal de amor e cuidado.

Portanto, o importante é fazer uma parce­ria constante de confiança e responsabilidade entre pais e filhos, formando uma relação har­moniosa e amigável. Assim, o equilíbrio entre o poder das inovações tecnológicas e as relações sociais não vão paralisar e nem prejudicar o convívio na interação e união entre as pessoas.

Por Vanessa Sardisco, psicóloga, especialista em educação inclusiva com fluência em Libras.
Contatos: (11) 98200-9577, facebook/psicovanessasardisco, www.vanessasardisco.com.br
psicologa@vanessasardisco.com.br

Edição 248

Setembro 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica