Saúde

Estresse engorda?

Comentário(s) 06 novembro 2016

Elisângela Machado

Elisângela Machado

Estresse e ganho de peso caminham juntos. Um orga­nismo estressado libera cortisol, e a quantidade de cortisol que é liberada de­pende de cada um. As pes­soas que liberam maior ní­vel de cortisol em resposta ao estresse tendem a co­mer mais. E o que elas es­colhem para comer geral­mente contém mais car­boidratos.

Observe sua rotina. Quando você está estres­sado um prato de salada não vai aliviar, seu corpo vai pedir por car­boidrato ou açúcar. Isso porque seus hormô­nios do estresse são criados a partir de gor­duras e açúcares, então seu corpo vai pedir por mais, para que possa criar mais desses hormônios. Então o estresse também pode afetar os alimentos que você quer comer. E, consequentemente, quando você se sente agitado, estressado, triste e deprimido, você tem mais probabilidades de buscar alimen­tos com muita gordura e açúcar.

Além das escolhas e vontades que não são saudáveis nesses momentos, o estresse tam­bém pode causar distúrbios alimentares de ordem emocional. A mudança nos níveis de cortisol aumenta a energia nervosa dentro do corpo. Quando isso acontece, parece na­tural comer toda e qualquer coisa em que vo­cê consegue pôr as mãos. Você não precisa da quantidade de alimen­tos em excesso, mas comer faz com que você se sinta melhor, pelo menos para seu cérebro.

As pessoas muito estres­sadas tendem a ganhar pe­so tanto pelas mudanças dos hormônios, quanto pe­las escolhas ruins que bus­cam comer para trazer o alívio emocional. Comem para completar um vazio interno ou para lidar com as dificuldades estressan­tes. E assim lidam com os sentimentos negativos, co­mendo de forma emocional.

Esses quilos a mais podem ajudar você a se sentir mais aliviado momentaneamente, e escapar por um tempo do que quer que es­teja acontecendo à sua volta. Mas, com cer­teza, não resolverá e você terá outra insatis­fação para desatar, o peso.

Para melhorar esse quadro deve-se lidar com o estresse da forma mais leve possível. Trabalhar o autoconhecimento, autoconfian­ça buscando equilibrar o emocional, e assim lidar com tudo isso sem tanta pressão, e sem o consolo da comida.

Elisângela Machado é psicóloga (CRP 06/97754), especialista em Obesidade, Transtornos Alimentares, Emagrecimento. Contatos: facebook/refletindosobreemagrecimento,

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica