Esportes

Exercício aeróbico em jejum não emagrece

Comentário(s) 11 novembro 2015

corrida3

Com o intuito de esclarecer e alertar as pessoas que buscam emagrecer, o personal trainer Vinícius Possebon responde sobre um assunto que considera nocivo, mas que é uma prática bem comum: o exercício aeróbico em jejum.

Exercício aeróbico em jejum emagrece?

Não. Você duvida? Então, continue a ler as respostas às perguntas.

 Exercício aeróbico em jejum engorda?

Engorda, sim. Mas quem diz isso não sou eu. Essa afirmação é resultado de estudos realizados com pessoas que faziam exercícios aeróbicos em jejum. Então, qual é a melhor forma de emagrecer e como o exercício em jejum é prejudicial para sua saúde e projeto de emagrecimento? Vamos raciocinar juntos e descobrir!

O exercício aeróbico normal não emagrece

Sim, diferentemente do que vemos por aí nas academias, onde as pessoas passam horas se exercitando, na tentativa de perder gordura. Agora, se o aeróbio normal não emagrece, imagine então o exercício feito em jejum! É desastre na certa!

Estudos mostram que o exercício aeróbico em jejum não funciona

Antes de tudo, se você é como eu, que adora ler estudos e se informar sobre tudo o que faz, preste muita atenção à metodologia utilizada. Muitas vezes, estudos se mostram bem tendenciosos e provam o que querem provar. Eu mesmo já me deparei com vários desses.

Estudos comparativos

Num estudo realizado em 2011, foram usados 2 grupos: um que fazia o exercício em jejum e outro que tomara um café da manhã de 670 calorias. O exercício durava 36 minutos e tinha de baixa à moderada intensidade. O resultado? O grupo que fez o exercício e estava alimentado, teve uma alteração no metabolismo em 24h.

Isso quer dizer que esse grupo queimou mais gordura em 24h. Já quem se exercitou em jejum, até queimou mais gordura durante o exercício, mas seu metabolismo ficou bem mais lento nas 24h seguintes.

Outro estudo do fim da década de 90 mostra que quem faz exercício aeróbico em jejum tem uma elevação do hormônio cortisol nos 90 minutos seguintes.

E o que é o cortisol?

É o hormônio que elimina a massa magra, ou seja, a massa que é benéfica para o seu corpo. Mas sabemos que, quando fazemos exercício aeróbico em jejum, aumentamos a oxidação de gordura em 30%. Sim, mas são 30% do quê? Quando paramos para analisar os estudos, isso tudo é baseado em miligramas por litro.

Então você me pergunta qual é o problema disso. O problema aparece quando você converte as medidas e transforma isso em gramas de gordura para saber quantos quilos você terá que perder. O resultado é uma média de 5g de gordura que você perde a mais quando faz exercício em jejum. Isso mesmo, apenas 5g!

Vale a pena acordar 1 hora mais cedo e não comer para perder apenas 5 gramas de gordura, sabendo ainda que seu metabolismo vai desacelerar no decorrer do dia?

E por que tanta gente diz por aí que a prática funciona?

Simplesmente porque a maioria dessas pessoas que diz que faz aeróbio em jejum, realiza a atividade combinada com mais 3 procedimentos: dieta restritiva; uso de fármacos (geralmente, ilícitos) e desidratação. Só essas 3 coisas combinadas já são o suficiente para emagrecer qualquer pessoa. Logo, o emagrecimento não é resultado do aeróbio em jejum, não se engane!

Os efeitos negativos dos exercícios aeróbicos em jejum

Bom, sabendo que o exercício aeróbico em jejum queima mais 5g de gordura do que uma pessoa alimentada fazendo a mesma coisa, mas em compensação, diminui o metabolismo, a primeira conclusão que podemos tirar é que o consumo de gordura aumentará muito no decorrer do dia. Além disso, existe o risco de uma hipoglicemia, por conta do jejum prolongado.

 

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica