Saúde

Filhos também precisam de explicação

Comentário(s) 30 novembro 2019

vanessa sardiscoPara os pais, o dese­jo maior é educar seus filhos da me­lhor maneira possível, ao ponto de desejarem ser “os melhores pais”. Por is­so, vejo que, com a preo­cupação dos pais em que­rer melhor para os seus fi­lhos, acabam educando-os com regras e castigos para os obedecerem.

Talvez muitos pais se equivoquem em pensar que as regras são para ser cumpridas e os castigos são para os filhos aprender com as suas desobediências. Entretanto, será que os castigos acontecem depois de explicações pa­ra que os filhos escolham as consequências de suas atitudes?

Ou seja, é preciso tomar cuidado em im­por regras e punições sem propor possibi­lidades para os filhos entenderem as con­sequências de cada atitude. Claro, isso não justifica não colocar limites e educar do jei­to desejado, mas explicar antes de castigar. É importante possibilitar maneiras diferen­tes em cumprir com o que está sendo man­dado pelos pais.

Na minha visão, acredito que a melhor ma­neira de mostrar para seus filhos a autoridade como pais é substituindo as regras por combi­nados. Isto é, quando se impõem regras e pu­nições, fica evidente para os filhos a impotência deles em saber que não são com­preendidos pelos pais.

Nesse sentido, mostran­do para seus filhos possibi­lidades e maneiras em agra­dar e obedecer aos pais a partir de combinados e ex­plicações, compartilharão com eles o compromisso de cumprir o que se responsa­bilizou com seus pais. As­sim, os filhos terão mais consciência das suas ações e escolhas.

Além disso, terão mais confiança nos seus pais, já que irão descobrir que seus pais sem­pre cumprirão o que falam e poderão dividir suas angústias e sentimentos sem desconfiar da suposta punição.

Portanto, aconselho sempre indicar e ex­plicar os limites e combinados, fazendo as­sim uma parceria constante de confianças, responsabilidades e uma relação harmonio­sa entre pais e filhos.

Por Vanessa Sardisco, psicóloga, especialista em educação inclusiva com fluência em libras. Realiza psicoterapia individual e familiar. Autora do livro “E a Borboleta voou”.
Contatos: facebook/psicovanessasardisco,(11) 98200-9577, www.vanessasardisco.com.brpsicologa@vanessasardisco.com.br

Edição 250

Novembro 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica