Estética

Ginecomastia, uma das cinco operações mais realizadas pelos homens no mundo

Comentário(s) 20 agosto 2016

vergonha homem

Vergonha, um dos relatos de quem tem ginecomastia

Segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética, mais de 21 milhões de procedimentos foram realizados no mundo inteiro, sendo os homens responsáveis por 14,4% desse total. A operação de ginecomastia está, segundo o órgão, entre as cinco mais procuradas pelo público masculino.

Caracterizada pelo aumento da mama nos homens, a ginecomastia afeta principalmente durante o início da puberdade, sendo que 65% dos casos acontecem entre os 14 e 15 anos de idade. Segundo o cirurgião-plástico brasiliense dr. Sérgio Morum, a ginecomastia é uma fase que pode ser revertida naturalmente. “O homem também tem mama, mas muito pequena. Ela acaba aparecendo por conta de um desequilíbrio hormonal ligado à produção de testosterona. Com o passar do tempo, o corpo equilibra essa produção, e esse aumento da mama pode regredir. Caso não, faz-se a retirada cirurgicamente, através da sucção da gordura produzida e, dependendo do caso, uma reposição da aréola. A cirurgia permite que o problema não ocorra novamente, ou seja, um único procedimento já garante que não cresça mais uma vez”, explica ele.

De acordo com o médico, homens adultos também podem estar sujeitos ao quadro, com o uso de esteroides anabolizantes ou alguma doença no testículo, prejudicando a produção de testosterona. Para ele, esses são os pacientes que mais procuram resolver o problema. “Vem sendo bastante comum a procura dos homens pelo procedimento”. O cirurgião conta que muitos chegam ao consultório reclamando do aspecto que a mama apresenta. “Muitos acham que há uma aparência feminina, e relatam muita vergonha, não gostam de tirar a camisa, ou usar uma regata para ir na academia, por exemplo. Eles reportam que também são alvos de chacotas por outras pessoas. Acaba atrapalhando o convívio social do paciente”, finaliza ele.

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica