Saúde

Intestino: nosso segundo cérebro, onde toda doença e saúde começam

Comentário(s) 04 julho 2019

Há muito tempo que o intestino tem essa conotação de segundo cérebro. Ele não é só um órgão de excreção. Antes de excretar, ele vai selecionar e absor­ver os nutrientes, água, eletrólitos etc. É ne­le que estão as células de Paneth, presentes no intestino delgado, responsáveis pela nossa funcionamento intestinoimunidade, as células de Globet, responsáveis pela formação de mucina (camada de prote­ção temporária de todo o trato gastrointes­tinal), e também a síntese de precursores do neurotransmissor, como serotonina.

Pelo nosso estilo de vida (estresse, bebi­da alcoólica, refrigerante, fumo, excesso de alimentação processada e industrializada, falta de consumo ou consumo insuficiente de fibras), uso de medicamentos, inclusive os “prazois” (omeprazol), entre outros (an­tibióticos, laxantes, opioides e anti-inflama­tórios), temos uma população de bactérias ruins maior que a população de bactérias boas, levando à disbiose (desequilíbrio da microbiota intestinal) e até mesmo a SIBO (supercrescimento de bactérias no intesti­no delgado). Isso reflete em nosso organis­mo: cérebro, tireoide, fígado, pele, celulite etc, levando desde a intolerâncias alimenta­res até doenças autoimunes.

Outra coisa para se ficar atento: a forma do cocô, cheiro, a quantidade e frequência da evacuação, nos mostram sinais de que algo pode não estar in­do bem.

Por is­so, a mo­dulação da mi­crobiota intestinal importante em qualquer tratamen­to nutricional. Essa modulação é base de tu­do! Não só na nutrição clínica, mas também na nutrição estética.

Não será de um dia pra outro que essa mo­dulação ocorrerá, mas existem várias estraté­gicas nutricionais que vão proporcionar es­sa modulação, desde que o paciente tenha consciência da importância do tratamento e tenha a adesão pelo mesmo.

Quais enfermidades podem ter início nos intestinos? São elas: doenças de pele, dege­nerativas, lúpus, doenças urinárias, obesida­de, zumbido nos ouvidos, doenças inflama­tórias, asma, bronquite, rinite, sinusite, vi­tiligo, doença de Crohn, Alzheimer, Parkin­son, autismo, fibromialgia, depressão, do­res de cabeça, TDAH.

Por Angela Giacomelli Stel, nutricionista e técnica em estética e atende na NutriEstética – Nutrição Clínica Funcional, Nutrição Estética e Estética Funcional. Contato: (11) 97187-6553

Edição 247

Agosto 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica