Estética

Micropigmentação no auxílio das mulheres mastectomizadas

Comentário(s) 28 novembro 2015

Eliana Giareta

Eliana Giareta

Cada vez mais observamos o papel das mulheres do sé­culo XXI no mercado de trabalho, adequando-se de um jei­to muito particular na medida em que o mundo foi mudando. Foram ra­dicais no decorrer dos anos: a mulher de antigamente, por exemplo, em na­da se parece com a mulher des­te século. Fazendo uma bre­ve retrospectiva do passado, observamos essa transforma­ção. Houve tempo em que a família decidia com quem a mulher ia se casar, um absurdo comparado com hoje, quando al­gumas mulheres sim­plesmente não que­rem se casar ou têm fi­lhos com a ajuda da tecnolo­gia e ciência, podendo escolher quando quer ser mãe, e até es­colhendo o pai do seu filho por uma ficha de triagem.

Na idade média, mulheres que tinham co­nhecimentos sobre fenômenos da nature­za e o usavam para criar seus medicamen­tos ou chás para determinadas doenças, fo­ram acusadas por bruxaria e lançadas às fo­gueiras. Durante séculos o papel da mulher resumiu-se, sobretudo, à sua função de mãe. Com a Revolução Industrial, muitas mulhe­res passaram a exercer função laboral, em­bora com uma remuneração muito inferior a dos homens. Nessa mesma época, algumas trabalhadoras fizeram greve para lutar pelos seus direitos e ao entrarem na fábrica para manifestação, foram trancadas em uma área que “repentinamente” pegou fogo matando mais de 120 trabalhadoras. O fato ocorreu no dia 8 de Março de 1857, e deu origem ao “Dia das Mulheres”.

De volta ao século XXI, as mulheres com suas características peculiares tornaram-se mais comunicativas, disponíveis ao conta­to social, inteligentes, empáticas e sensíveis ao desejo do consumidor, estabelecendo as­sim um bom relacionamento entre seus li­derados. Há pouco tempo líderes ti­nham que ter personalidade e tra­ços marcantes que destacassem imponência; hoje, essas caracte­rísticas ganham leveza e carisma ao toque feminino.

O mundo sofreu modificações, fato. E quem melhor que as mu­lheres para entender is­so? Mulheres moder­nas contornam, dele­gam e se adaptam em qualquer situação, fa­zendo isso com tama­nha elegância, que se torna natural. As mu­lheres trouxeram para o mundo inovação, for­ça e a forma mais delica­da de poder, além da bele­za incontestável encontra­da nesse ser.

Temos mulheres nas principais lideranças mundiais, o que com­prova que estamos ganhando respeito e es­paço. Ainda temos um salário diferente do homem no mercado, mas, sob meu ponto de vista, essa situação está mudando; são incon­táveis os números de mulheres mais bem su­cedidas que os homens.

Acredito que este século é nosso, o mundo ganha mais beleza e delicadeza com mulhe­res no comando do escritório de uma execu­tiva à residência da dona de casa multifuncio­nal. É um privilégio ser mulher, não pelo que se explica, mas pelo que se sente.

E as mulheres de hoje não têm mais ver­gonha de falar também sobre suas doenças, sobre o câncer de mama, e sabem que exis­te a micropigmentação paramédica que faz a reconstrução de aréola mamária pós-cirúr­gica, com ótimos resultados.

Eliana Giaretta é instrutora master em micropigmentação. Contatos: Academia Brasileira de Micropigmentação (R. Antonio Latorre, 33, Itatiba), tel.11-4594-3792, www.elianagiaretta.com.br.

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica