Saúde

O poder de cura da meditação

Comentário(s) 30 maio 2017

Crescem as comprovações da eficácia da prática da meditação na melhora de uma variedade cada vez maior de doenças como câncer, depressão e problemas cardíacos. A prática da meditação hoje ga­nhou status e, devido às comprovações cien­tíficas, está se transformando em um dos mais respeitados recursos terapêuticos emprega­dos pela medicina tradicional ocidental.

Nessa prática milenar, o principal objetivo é limpar a mente dos excessivos, confu­sos e desnecessários pensa­mentos que por ela flutuam a cada segundo, ajudando o in­divíduo a focar no momento presente. Assim, é um exce­lente método para ajudar as pessoas a lidarem com senti­mentos como a ansiedade.

O que temos agora são inú­meras pesquisas científicas em que a medita­ção é vista e recomendada aos pacientes co­mo um remédio acessível e sem efeitos co­laterais. E já é indicada para um vasto leque de desequilíbrios, como a depressão, a redu­ção de dores e até mesmo redução dos efei­tos colaterais do câncer.

A meditação tem conquistado o respeito da medicina tradicional porque tem passado nas provas de eficácia realizadas de acordo com a ciência ocidental. Aos olhos dos pes­quisadores foi eliminado o caráter esotérico, e a prática se mostrou um recurso possível e acessível a todos. De fato, o método provou-se capaz de promover no organismo mudan­ças fisiológicas importantes.

A inclusão da prática como uma opção de tratamento dentro da medicina ocidental é um fenômeno mundial. Nos Estados Unidos figura entre as opções de centros renoma­dos como o Memorial Sloan-Kettering Can­cer Center, um dos centros de referência no tratamento da doença. Também está dispo­nível na Clínica Mayo, outro respeitado ser­viço de saúde.

No Brasil, começa a ganhar espaço, boa parte dele asse­gurado pela Política de Prá­ticas Integrativas e Comple­mentares do SUS, implemen­tada pela Portaria 849, pu­blicada no Diário Oficial da União em 28/3/17 pelo Mi­nistério da Saúde. Ela incen­tiva o uso, pela rede pública, de uma série de práticas não convencionais – como a medicina tradicional chinesa, a acupuntura, ioga, meditação, fito­terapia, entre outros – para auxiliar no pro­cesso de cura.

Informações: 11-99902-0467 (whats) ou amalia.yoga@gmail.com (com profa. Amalia).

Artigo da professora de ioga e terapeuta em medicina ayurveda Amalia Sciamarelli

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica