Tendência

Os cuidados que os pais devem ter com jogos virtuais

Comentário(s) 16 abril 2018

adolescente internet

Crianças e adolescentes estão cada vez mais interessados em jogos virtuais. Diversos desafios aparecem diariamente na internet, aguçando o interesse dos jovens. Recentemente, uma menina de sete anos morreu após participar de um jogo virtual, no qual o objetivo era inalar o máximo possível de desodorante aerossol. A comoção com o caso, fez com que os pais ficassem mais atentos sobre os desafios publicados na web.

De acordo com Maria Lucia Marques, especialista em psicologia escolar, psicopedagogia, jogos, educação e professora do curso de Psicologia da Universidade UNIVERITAS/UNG, os responsáveis devem acompanhar de perto, não apenas os jogos virtuais, mais todas as atividades que estão envolvidas no “mundo virtual”. “As mensagens subjetivas na construção do universo psicológico transcendem os espaços virtuais para a percepção do que é real e do que deve ser mantido apenas na esfera da imaginação”, comenta.

Diante disso, a especialista explica como perceber e agir frente ao problema.

Como perceber que algo está acontecendo? 

Hoje em dia, é muito comum observar os jovens entretidos com seus celulares, tabletes, computadores e outras “ferramentas” de tecnologia. Os pais devem acompanhar de maneira mais próxima estas influências, é importante estarem atentos não apenas nas “ferramentas”, mas sim aos níveis de mudanças de comportamento e atitudes que estes jovens podem apresentar.

De que forma eles podem procurar ajuda?

A primeira ajuda deve ser dada pelos próprios pais, no sentido de proporcionarem a conscientização sobre o uso e o alcance destas tecnologias. Caso tenham dificuldades, é importante buscar por profissionais que possam contribuir com este processo, como psicólogos, orientadores pedagógicos das escolas, entre outros.

Limitar o acesso à internet, rastrear sites acessados seria uma alternativa?

Este tipo de ação mostra-se como uma das ações que estes pais podem utilizar, porém, se estabelece mais como uma ação coercitiva de controle do que a real conscientização do próprio usuário. Dependendo da faixa etária, esta é uma conduta que pode trazer alguns resultados, mas para jovens e adolescentes não representa uma alternativa com grande probabilidade de êxito, pois existem meios de “burlarem” estes controles.

Por que cada vez mais os adolescentes estão se envolvendo em jogos perigosos?

Exatamente pela dificuldade de entenderem o que é o mundo real e o que é o universo tecnológico. Esta distinção é fundamental na concepção e preparação do sujeito para o “mundo adulto”, e estas novas gerações estão tendo cada vez mais dificuldades para discernirem essas relações.

Você acredita que os adolescentes estão cada vez mais, tomando decisões negativas em razão da pressão de amigos/colegas?

Os jovens sempre se mostraram muito vulneráveis as influências de seus “amigos/colegas”, pois ainda estão em processo de formação de identidade e, é o exercício com este mundo externo, que contribui para a formação de seu mundo interno. Desta forma, existem muitas variáveis que devem ser consideradas antes de falar que eles estão tomando decisões negativas. Acredito que são decisões imaturas e típicas de quem ainda não consegue diferenciar aquilo que chamamos, anteriormente, de mundo real e mundo virtual, pois ainda estão em processo de formação.

 

Edição 230

Março 2018

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica