Saúde

Ortomolecular no combate à osteoporose

Comentário(s) 20 novembro 2015

A osteoporose é caracterizada por re­dução de massa óssea e deterioração de sua microarquitetura. Os ossos são os responsáveis pelo formato do corpo, pela flexibilidade e resistência. A osteoporose ge­ralmente é assintomática, mas pode ser sin­tomática quando apresenta redução na altu­ra da pessoa, acentuação de cifoses (corcun­da), alteração na cavidade abdominal e na caixa torácica predispondo a pessoa a infec­ções respiratórias.

A Terapia Orto­molecular reali­za um tratamento preventivo e curati­vo, sendo que a pre­venção deve come­çar na infância com alguns cuidados na alimentação: evitar refrigerantes, ali­mentos com muito sal, estimular as brinca­deiras no sol e praticar atividades físicas. O pico da massa óssea ocorrre por volta dos 20 aos 30 anos na mulher, e dos 20 aos 40 no homem, por isso, nessa faixa etária, pro­cure praticar esportes para formar o máxi­mo de massa óssea.

Do envelhecimento ninguém escapa, nem da menopausa, no caso das mulheres, e nem da andropausa para os homens. São períodos da vida em que vai ocorrer a maior perda da massa óssea e diminuição dos hôrmonios, e por isso a prevenção é importante. Mas, pa­ra as pessoas que já foram diagnosticadas com osteoporose, vamos apresentar outras opções de suplementos, que também podem ser utilizados para o tratamento da doença, e que muitas vezes conseguem estabilizar a perda óssea, trazendo principalmente para os idosos melhor qualidade de vida.

As pessoas negras têm mais massa óssea que as amarelas e essas mais que as bran­cas. Os homens têm uma perda óssea mais constante durante a vida, devido ao seden­tarismo, tabagismo, alcoolismo, inflamações, diabetes e, muitas vezes, a osteoporose no homem é negligenciada. Diferentemente do que ocorre com as mulheres, que sofrem uma queda brusca e maior depois da menopausa, devido à diminuição do estrogênio.

O tratamento ortomolecular para osteo­porose vai além do cálcio – utiliza também outros minerais, vi­taminas , fitoterápi­cos e a suplemen­tação quântica. Va­mos conhecer um pouco mais da im­portância da suple­mentação para esta doença:

- Vitamina D: aumenta a massa óssea juntamente com o uso do cálcio.

- Vitamina K: fortalece o osso e a circula­ção sanguínea, permitindo que o cálcio pe­netre nos ossos.

- Boro: é essencial para estimular a for­mação do osso, melhora absorção do cálcio e magnésio.

- Magnésio: diminui a perda de cálcio.

- Zinco: atua na prevenção da osteoporose.

Além das vitaminas e minerais, podemos potencializar o tratamento com ômega 3 e alimentos antioxidantes. Se você foi diagnos­ticado, procure um profissional para ajudar na suplementação e um educador físico pa­ra realizar exercícios corretos que ajudem na preservação de massa óssea e não espere ter uma fratura ou chegar a um alto grau de oste­oporose para procurar um tratamento.

Íria Melleiro Abbas (CRT 316730) é terapeuta ortomolecular e bacharel em Biologia Médica – Unesp. Saiba mais: 11-4521-6307

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica