Saúde

Otites: causas, tratamento e prevenção

Comentário(s) 25 maio 2018

O termo otite refere-se à inflamação e/ou infecção nas orelhas média ou externa e uma de suas principais características é a dor de ouvido. Embora seja muito frequente em crianças pode também acometer adultos e idosos.

Com a chegada do inverno, aumenta de forma considerável a incidência das infecções das vias aéreas superiores e, desta forma, existe também um crescimento no número de casos de otite média aguda, uma vez que essas podem ocorrer como complicações dessas infecções.  A otite pode ser muito dolorosa por conta do acúmulo de fluídos dentro da orelha média (antigamente chamada de ouvido médio).

O otorrinolaringologista dr. Renato Bittar, do Consulta Aqui (www.consultaaqui.com.br), explica que as otites externas, causadas, na maioria dos casos, pela umidade excessiva, lesões de pele pelo uso de cotonetes, introdução de outros objetos estranhos e pela prática natação, têm como principais agentes etiológicos as bactérias chamadas Pseudomonas aeruginosa e Staphylococcus aureus. Já as otites médias agudas, os causadores são as bactérias Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenzae e Moraxella catarrhalis.

A otite pode ser classificada de acordo com seu tempo de duração. Enquanto a maior parte das otites se resolvem em pouco tempo, alguns casos podem apresentar maiores riscos de complicações quando não tratadas.

De acordo com o dr. Renato, todo quadro de otite deve ser investigado e, em geral, apenas um histórico dos sintomas e uma avaliação clínica é o bastante para determinar seu diagnóstico, sem que haja necessidade de exames laboratoriais ou de imagem. Porém, quando o paciente não apresenta sinais de melhora com o tempo e/ou manifesta complicações, o médico pode requisitar outros exames, como audiometria, impedanciometria ou até uma tomografia computadorizada.

O tratamento é realizado com anti-inflamatórios e, às vezes, com antibióticos. “Vale salientar que somente um otorrinolaringologista pode diagnosticar e tratar as otites de forma correta”, adverte o especialista. “As principais orientações para a prevenção das infecções das vias aéreas são: não fumar e evitar ambientes com fumantes, lavar as mãos com frequência, evitar aglomerações em locais fechados e mal ventilados, arejar bem a casa, vacinar-se contra a gripe, alimentar-se bem, aumentar a ingestão de água e fazer lavagem nasal com solução fisiológica várias vezes ao dia”, complementa.

Edição 232

Maio 2018

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica