Estética

Pacientes obesos podem fazer abdominoplastia de forma segura

Comentário(s) 24 maio 2019

obesidade

Por sete anos, um médico norte-americano realizou o procedimento de retirada de excesso de pele do abdômen em 82 pacientes, sendo 21 considerados obesos (com um índice de massa corporal médio de 35 kg/m²) e o restante classificado como não obeso. Para a maioria dos pacientes dos dois grupos, a cirurgia de abdominoplastia foi feita junto com lipoaspiração, que retira gordura localizada. Pelo período médio de um ano, foram comparadas as taxas de complicações entre as duas partes e foi constatado fatores de risco semelhantes. A pesquisa concluiu, portanto, que a abdominoplastia em pacientes obesos é um procedimento seguro, com taxas de complicações semelhantes as de pacientes não obesos.

    Segundo o cirurgião plástico dr. Luiz Anízio Wanna, uma vez que os resultados dos exames pré-operatórios do paciente, sendo ele obeso ou não, estiverem normais, sem qualquer alteração, ele pode ser submetido à cirurgia de abdominoplastia. No caso do paciente muito acima do peso, entretanto, é necessário estar atento quanto ao trato respiratório. “Se o paciente obeso tiver dificuldades respiratórias devido ao peso, pode ser um pouco mais difícil dele sair do respirador depois da cirurgia. Nessas situações é recomedada uma fisioterapia respiratória antes do procedimento para facilitar a respiração dele no pós-operatório, assim ele tem uma recuperação mais agradável”, aconselha o médico.

   O dr. Wanna explica ainda que um dos principais fatores a ser avaliado quando uma pessoa obesa deseja realizar uma abdominoplastia é a quantidade de pele existente para ser retirada. “A pessoa muito acima do peso que tem dificuldade de emagrecer, e tem aquele excesso de pele incomodando pode fazer a cirurgia, sem problemas”.

Edição 244

Maio 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica