Saúde

Perda auditiva e demência

Comentário(s) 26 abril 2019

 Audilog

Pessoas a par­tir de 60 anos com perda auditi­va têm maior risco de de­senvolver de­mência ao lon­go do tempo, comparados a quem tem au­dição normal. Demência é uma condição em que ocor­re perda da função cerebral. É um conjunto de sintomas que afetam diretamente a qua­lidade de vida da pessoa, levando a proble­mas cognitivos, de memória, raciocínio, lin­guagem, comportamental e alterando a pró­pria personalidade.

Vários estudos indicam que a perda auditi­va não tratada precocemente pode estar rela­cionada com o desenvolvimento de demência e doença de Alzheimer. Isso porque o esfor­ço para ouvir e compreender cria uma ten­são capaz de interferir na cognição normal. Pessoas com perda auditiva tendem a se iso­lar socialmente e a diminuição da interação leva à estagnação mental.

Para minimizar essa questão recomenda-se o uso de aparelhos auditivos o quanto an­tes, pois além de melhorarem a audição, pre­servam as funções do cérebro.

Se alguém da sua família ou do seu convívio estiver perdendo a audição, leve-o ao otorri­nolaringologista: o diagnóstico e o tratamen­to da perda auditiva vão ajudá-lo nesse pro­cesso cognitivo. Caso seja indicado o uso de aparelho auditivo, venha até a Audilog!

A Audilog fica na Rua Anchieta, 670, tér­reo, Jundiaí – SP. Contatos: (11) 3446-9024, 98460-4553 (WhatsApp).

Por Daniel De La Corte, fonoaudiólogo

Edição 243

Abril 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica