Esportes

Praticar Pilates melhora o desempenho em outros esportes

Comentário(s) 03 agosto 2019

pilates

Estar bem preparado fisicamente é fundamental para apresentar um bom desempenho durante treinos e competições. Apropriado para praticantes de todas as modalidades desportivas a partir dos 10 anos de idade, os exercícios do Pilates têm o objetivo de melhorar a flexibilidade, o condicionamento físico, a força, a resistência, a coordenação motora e corporal, além do equilíbrio, e podem trazer inúmeros benefícios tanto para atletas de alta performance quanto amadores de diversas modalidades.

“Para atletas com uma rotina intensa de treinos e jogos, o Método Pilates é trabalhado coordenado com a preparação física, técnica e tática. Assim, pode-se acompanhar as necessidades e objetivos de cada fase da chamada periodização – que vai do pré ao pós prova ou jogo, quando é feita a recuperação”, diz Adriana Batista de Oliveira, educadora física e instrutora de Pilates.

A profissional esclarece que o Autêntico Pilates é um método de condicionamento físico que trabalha o corpo de forma global, tanto nos músculos superiores quanto nos inferiores, e uniforme, sempre a partir e através de seu centro. Essa região central, chamada de Power House ou Core, envolve músculos abdominais, assoalho pélvico (responsável pela sustentação dos órgãos do sistema reprodutor) e musculatura das costas.

“O trabalho foca em toda musculatura estrutural e estabilizadora, ou seja, os músculos que sustentam as articulações do corpo, inclusive as camadas profundas que dão sustentação à coluna vertebral”, explica Adriana. Desta forma, o método melhora a qualidade da eficiência motora, respiração, mobilidade, flexibilidade, estabilização e consciência corporal e dos movimentos, além de fortalecer a musculatura, prevenir lesões musculares e articulares e auxiliar na conquista de melhores resultados esportivos.

Os riscos que atletas esporádicos correm por não se preparar adequadamente são, principalmente, os de lesão por impacto ou por torção. Isto porque a musculatura estrutural e estabilizadora não está preparada para a solicitação exigida pelo movimento específico da atividade. E a prática também pode minimizar esses problemas.

Antes do início das aulas de Pilates, é preciso uma avaliação individual, para que os exercícios sejam focados tanto nas necessidades do aluno quanto da modalidade que pratica. “Alguns exercícios são mais indicados para a prática de esportes que exigem mais torções de tronco, como é o caso do golfe e do tênis, por exemplo, tanto para fortalecimento como para a compensação dos movimentos”, explica Adriana.

E complementa: “Para a Equitação, há exercícios que simulam a prática da montagem, enquanto para corrida e futebol são feitos treinos para articulações, tendões e ligamentos de tornozelo, joelho e quadril, que são muito solicitados. Para eles há algumas sequências específicas, como Foot work’s (realizada em vários aparelhos), acessórios como o Foot Corrector e o Magic Circle, além dos famosos exercícios chamados pré-Pilates que preparam estas estruturas para o forte impacto promovido nestes esportes”.

Agora engana-se quem pensa que o Pilates é benéfico apenas para a parte física do atleta – o trabalho do Pilates é também mental. O método atua não só em relação aos músculos, a força, a flexibilidade, a resistência, ao alinhamento e ao corpo físico no geral. Ele trabalha a parte psicológica do atleta, sua intuição e seu centro emocional.

 

Edição 250

Novembro 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica