Saúde

Psicoterapia vincular e seus benefícios

Comentário(s) 28 maio 2018

eliete martini orsiSomos seres socais! Não nas­cemos nem crescemos so­zinhos. Nascemos ligados – na mãe, num grupo, em pesso­as. Nosso psiquismo constitui-se porque temos um vínculo, uma li­gação. Essas ligações interferem a todo momento em nossas vivências mentais.

Inicialmente, a mãe é a liga­ção do bebê com o mundo. Es­sa função inicial (função ma­terna que pode ser realizada por outras pessoas que não a mãe), nos garante a com­preensão de mundo. É a primeira apresentação ao mundo e nos ajuda a per­ceber e a identificar sig­nificados. A vida mental é construída à medi­da que nossa relação com o mundo – pessoas, ambientes, palavras, gestos, crenças, cultura etc – vai agregando significados ao ambien­te e é apreendido pelo psiquismo.

Essa construção mental, interna, que é sub­jetiva, desenvolve-se e constitui a vida emo­cional do indivíduo.

Quando há adoecimentos e sofrimentos pessoais, o indivíduo pode recorrer ao que chamamos de psicoterapia individual. A in­tervenção se dá, então, de forma intrapsí­quica, pois lida com as questões da própria pessoa: seus sentimentos, conflitos e pen­samentos.

Há conflitos que surgem nas relações, ou seja, a amplitude dos conflitos se dá nas re­lações de casal, familiar e de trabalho. Chamamos essa intervenção de in­terpsíquica, pois envolve os aspec­tos de COMO se dão as ligações, os VÍNCULOS!

Sim, os vínculos podem adoecer e, muitas vezes, a intervenção de uma psicoterapia vincular, seja de casal ou familiar, é muito importante.

A construção de nos­sa vida gira em torno de nossas vivências vincula­res e o trabalho de gru­po, muito importante no atendimento clínico par­ticular ou institucional, é também importante, muitas vezes, na com­preensão de sofrimen­tos e inadequações.

Será que estamos sabendo nos comuni­car? Será que sabemos ouvir o outro? Por que sempre repetimos as mesmas vivências adoecidas? Por que não consigo explicar, ex­por meus sentimentos? Por que não compre­endo o que o outro quer dizer?

Há muitas manifestações adoecidas nas crianças e adolescentes que delatam os con­flitos familiares. Há adulto que sofrem por que não percebe o ambiente adoecido em que vive.

Não raras vezes, o trabalho psicoterápico individual e vincular se complementam.

Por dra. Eliete Celi Martini Orsi (CRP 06-15998-1), psicóloga. Contato: 11-4586-5625

Edição 236

Setembro 2018

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica