Saúde

Tonturas e vertigens: todo cuidado é pouco

Comentário(s) 22 abril 2019

É difícil encontrar alguém que nunca sentiu um desconforto ou teve a sensação de tudo ao redor estar girando. A tontura é algo comum que atinge milhares de pessoas ao redor do mundo. Entretanto, esse é um assunto amplo e repleto de equívocos. Nesse cenário, a Academia Brasileira de Neurologia (ABN), em conjunto com a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL), estão promovendo a Semana da Tontura, com objetivo de chamar a atenção para esse problema tão recorrente.

A campanha ocorre na semana seguinte ao dia da tontura, datado em 22 de abril. Em sua segunda edição, visa divulgar informações gerais por meio de cursos e aulas das mais diversas especialidades como neurologia e otorrinolaringologia. Também serão distribuídos panfletos com esclarecimentos destinados ao público leigo.

Um dos enfoques é tratar a constante confusão entre os termos tontura e vertigem. Por serem sinônimos no dicionário, a diferenciação torna-se mais complicada. Tontura é usada para designar a sensação de mal-estar e fraqueza. Já vertigem, é empregada para situações nas quais a pessoa perde a noção de espaço em movimento, achando que está inclinado ou caindo.

O slogan da campanha, “Tontura é coisa séria”, pretende alertar sobre a possibilidade dos sintomas desses dois problemas estarem atrelados a doenças sérias.  A vertigem, por exemplo, pode estar ligada a um problema do labirinto, nosso sensor de movimento, ou a algumas partes do cérebro e cerebelo, este último responsável pelo equilíbrio. Porém, se o paciente é mais velho, tem quadro de pressão alta ou diabetes, pode ser um sinal de AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Cristiana Borges Pereira, neurologista e vice-coordenadora do departamento científico de Distúrbios Vestibulares e do Equilíbrio da ABN, enfatiza a importância de estar atento aos sinais, principalmente em relação à sensação de mal-estar “Cerca de 30% das pessoas que procuram o pronto-socorro se queixando de tontura podem apresentar uma doença grave por trás.”, completa.

Tanto a vertigem, como a tontura, tem um impacto enorme na vida das pessoas que convivem com essas duas questões. O incômodo limita atividades diárias, o trabalho, além do âmbito social e emocional.

Conhecido como doutor tontura, o neurologista Saulo Nader acredita que o grande obstáculo está no tratamento “Existe infelizmente uma dificuldade dos médicos em lidar com as Labirintites e Tonturas. É tido como “difícil” ou “desafiante” a identificação correta e o tratamento desse perfil de doenças. E quem sofre com tudo isso é a população, que acaba não tendo seu caso desvendado e não consegue a tão sonhada melhora”, pontua.

Para Cristiana, a campanha é importante para conscientizar as pessoas e trazer uma mensagem de atenção para os sintomas “Muitas vezes esses sinais são menosprezados pelos pacientes e, até mesmo, médicos. A população geral, aqueles que nunca tiveram vertigem, por exemplo, não valorizam e acham uma besteira. Porém, pode indicar algo mais preocupante”, enfatiza.

Edição 246

Julho 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica