Saúde

Terapia Ortomolecular: conheça e equilibre o envelhecimento hormonal

Comentário(s) 04 maio 2016

 suplemento

 Embora o envelhecimento hormonal se­ja natural e a expectativa de vida tenha aumentado, não há necessidade de vo­cê sofrer porque está envelhecendo, mas de­ve procurar alternativas saudáveis para viver mais tempo com qualidade de vida. Em alguns períodos de nossas vidas ocorrem as chama­das pausas hormonais, e é sobre isto que va­mos falar, e mostrar que algumas vitaminas, minerais, moduladores, indutores frequen­ciais, os florais quânticos e fitoterápicos po­dem ajudar a melhorar a sua vida hormonal.

- Menopausa é caracterizada por ausência de menstruação por pelo menos 1 ano, mo­mento em que o estrógeno diminui (por volta dos 50 anos) e também a progesterona (que pode começar a cair aos 35 anos). Geralmen­te, vem acompanhada por ondas de calor, ga­nho de peso, insônia, diminuição da densida­de mineral óssea, ressecamento de pele, vagi­na e olhos, irritabilidade, angústia, depressão, perda da elasticidade da pele e perda do tônus muscular. Nessa fase da vida da mulher é hora de modificar os hábitos alimentares, incluir as vitaminas B6, K2, D, magnésio, inhame, linha­ça e alguns moduladores frequenciais e indu­tores florais, como o Clymare ou o Hormus.

- Andropausa é o declínio hormonal do homem. A testosterona sofre um decréscimo de geralmente 50% até os 55 anos e é carac­terizada por queixas como fadiga, insônia, déficit de memória, obesidade, dores arti­culares, queda de cabelo, redução de massa muscular e óssea, diminuição da libido, de­pressão, distúrbios de ereção e ejaculação. Na Terapia Ortomolecular utiliza-se para o equilíbrio o zinco, o magnésio, a vitamina D, B6, o Herusflower, ômega 3, Tribulus terres­tre, linhaça e Turkesterone.

- Tireoide. Seus hormônios controlam to­do o processo metabólico do corpo e quan­do desequilibram trazem queixas, como fa­diga, intolerância ao frio, constipação intes­tinal, pele seca, alteração de colesterol to­tal e triglicérides, obesidade, hipertensão, ansiedade, depressão, infertilidade ou alte­ração de menstruação (hemorragia ou au­sência), unhas quebradiças, queda de cabe­los, envelhecimento precoce, e em crianças, quando altera, diminui o desenvolvimento fí­sico e mental. Equilibra-se com os minerais selênio, zinco, cobre, vitaminas A, D, G-con­troler e, muitas vezes, com a medicação de um médico endocrinologista.

- Adrenopausa. Conhecida por Fadiga Adrenal é caracterizada por queda de energia principalmente no final da tarde, fadiga crô­nica, aumento de retenção líquida, aumento de resistência insulínica, obesidade, hiperten­são, diabetes, infarto, AVC e falhas de memó­ria. Importante o uso de passiflora, valeriana, ginseng, G-Adrena e modificação de hábitos

- Somatopausa. Percebe-se, por volta dos 40 anos, diminuição do hormônio de cresci­mento (GH), responsável pela regeneração celular e pode ter aparecimento de desâni­mo, perda muscular, osteoporose. Suplemen­ta-se com Nutrissono, G-mather, Somathus.

Estes são os desequilíbrios mais comuns. Se alguma coisa o incomoda, não espere fi­car pior. A Terapia Ortomolecular é um tra­tamento individualizado, pois somos meta­bolicamente diferentes, ou seja, cada caso é único. O suplemento do seu amigo pode não servir para você. Se quiser viver com menos dependência de tanta medicação, cirurgias, próteses e outras drogas, comece mudando o seu estilo de vida, sua alimentação, suple­mentando e praticando atividades físicas. Co­nheça a Terapia Ortomolecular!

Íria Melleiro Abbas (CRT 31673) é terapeuta ortomolecular/ bacharel em Biologia Médica – UNESP.  Saiba mais: 11-4521 6307

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica