Saúde

Três questões essenciais sobre catarata

Comentário(s) 21 junho 2016

olhos catarata

Quando envelhecemos, as lentes dos olhos (cristalinos) engrossam e tornam-se opacas. Eventualmente, pode ficar mais difícil ler as placas de rua. As cores podem parecer sem vida. Estes sintomas podem sinalizar a presença da catarata, que afeta cerca de 70% das pessoas aos 75 anos. Felizmente, a catarata pode ser corrigida com cirurgia. Só nos EUA, são realizadas cerca de três milhões de cirurgias de catarata, por ano, para restaurar a visão desses pacientes. No Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, o número de procedimentos cirúrgicos para correção de catarata aumentou 59,7% de 2010 para 2014.

“Atualmente, são realizadas cerca de 556 mil cirurgias de catarata por ano no país”, conta o oftalmologista Virgílio Centurion (CRM-SP 13.454), diretor do Instituto de Moléstias Oculares, que lançou, recentemente, o livro Cirurgia de Catarata com Femtosegundo, CICAFE, pela editora Cultura Médica.

Aproximadamente 25 milhões de americanos têm catarata, doença que causa visão turva, borrada ou fraca e que se desenvolve com o avançar da idade. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a incidência anual de catarata é estimada em 0,3% ao ano. Isso representaria, no Brasil, cerca de 550.000 novos casos de catarata por ano.

Três questões essenciais

  • A idade não é o único fator de risco para catarata. Embora a maioria das pessoas irá desenvolver a catarata em função da idade, estudos recentes mostram que o estilo de vida e o comportamento podem influenciar quando e quão severamente será o desenvolvimento da catarata. “Diabetes, intensa exposição à luz solar, tabagismo, obesidade, pressão alta e determinadas etnias estão relacionadas ao aumento do risco de catarata. Lesões oculares, cirurgia ocular precoce e o uso, a longo prazo, de medicamentos esteroides também pode resultar em cataratas. Se você tiver qualquer um destes ou outros fatores de risco, converse com um oftalmologista”, orienta o diretor do IMO;
  • A catarata não pode ser evitada, mas você pode reduzir seu risco. Usar óculos de sol anti-UV e chapéus com abas, quando estiver exposto ao sol, pode ajudar. Vários estudos sugerem que alimentos ricos em vitamina C podem retardar a evolução da catarata. Além disso, evitar o tabagismo também diminui o risco de desenvolvimento de catarata;
  • A cirurgia pode melhorar mais do que apenas a visão do paciente. Durante o procedimento, a lente natural que está embaçada é substituída por uma lente artificial chamada de lente intraocular, ou LIO, que melhora a visão do paciente significativamente. “Os pacientes têm uma variedade de lentes para escolher, cada um com diferentes benefícios. Estudos têm demonstrado que a cirurgia de catarata pode melhorar a qualidade de vida e reduzir o risco de quedas. Se a catarata está interferindo na sua capacidade de ver bem, converse com seu oftalmologista sobre a cirurgia de catarata”, recomenda Centurion.

Uma cirurgia de mudança de vida

Para o médico, fazer a cirurgia é, antes de tudo, uma mudança de vida. “As pessoas muitas vezes não percebem como benefício a qualidade de vida que o paciente reconquista após a cirurgia de catarata. Depois de fazer a cirurgia de catarata, muitos pacientes relatam que gostariam de não ter esperado tanto tempo pelo procedimento”, relata.

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica