Saúde

Uma epidemia chamada ansiedade

Comentário(s) 02 maio 2019

niviaA revista Super Interessante de Fevereiro 2019 traz na capa a matéria sobre a Epidemia da Ansiedade, na qual se informa que o Brasil é o país mais ansioso do mundo: 9,3% da popu­lação sofre do transtor­no de ansiedade. Neste artigo quero lhe propor um coaching educa­tion neurocientífico, para conhecer seu ini­migo a fundo e saber como lidar com ele.

Que a ansiedade causa taquicardia, respi­ração ofegante, suor e insônia, creio que vo­cê já deve saber, mas talvez você não saiba que a ansiedade é uma característica bioló­gica de todos os seres humanos, que confe­re situações de perigo e estresse. Há 250 mil anos o Homo Sapiens devia ter uma explosão física para enfrentar as ameaças e os ambien­tes inóspitos da época. Quando saía para ca­çar se deparava com animais muito grandes e tinha que optar por enfrentar ou fugir do predador. Nessa situação de estresse o cére­bro desenvolveu aptidões que o ajudariam a enfrentar o perigo, vencer ou fugir.

Porém, hoje nossos problemas não são mais um tigre com dentes de sabre, mas sim contas a pagar, promoção ou possibilidade de perder o emprego, um filho doente etc. As re­ações químicas que o nosso cérebro desen­volveu durante a nossa evolução continu­am a nos assombrar e a nos fazer vítimas de nós mesmos. Porém, é necessário dizer que a ansiedade está na imaginação catastrófica antecipatória de um evento que não oferece preocupação ou ameaça real.

Como nossos pensamentos são reações quí­micas, e reações químicas são viciantes, bas­ta termos a sensação de ansiedade duas ou três vezes para ficarmos reféns dessa sensa­ção, pois, ao fim do estado ansioso, o nosso cérebro libera o hormô­nio chamado GABA, que relaxa, e essa sensação é boa para nós. Dessa for­ma, ficamos viciados em estar ansiosos.

Como todo vício é ma­léfico, passamos a ter noites e noites com in­sônia, acordamos can­sados, não conseguimos fazer mais nada além de ir do trabalho para casa, e vice-versa, ou seja, nossa qualidade de vida e nossa saúde vão embora.

Mas há saídas para amenizar os impactos que a ansiedade vem causando. A primeira grande ação a ser feita é reconhecer que vo­cê precisa de ajuda. Uma equipe multidisci­plinar o ajudará a equilibrar sua inteligên­cia emocional. Procure por um psicólogo pa­ra terapia, um coach para lhe ajudar a colo­car ações em prática, uma nutricionista pa­ra ajudar com o cardápio ideal, uma prática de atividade física prazerosa, e SEJA FELIZ! Entre em contato comigo e eu lhe ajudarei. Vamos encontrar saídas viáveis para que o seu dia a dia tenha uma rotina saudável, fá­cil, rápida, e que o objetivo maior, que é cui­dar de você, seja alcançado.

Por Nivia Fontana, pedagoga, life coach focada em emagrecimento.
Contato: (11) 99894-6419 (WhatsApp)

Edição 245

Junho 2019

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica