Saúde

Você sabe o que é o Distúrbio de Processamento Auditivo Central?

Comentário(s) 28 setembro 2016

Ana Clara Albiero

Ana Clara Albiero

Na maioria dos casos, quando a crian­ça, adolescente e até mesmo o adul­to apresentam dificuldades em com­preender a fala do interlocutor e começam a apresentar dificuldades escolares e no traba­lho, a primeira hipótese que deve ser inves­tigada é a perda de audição.

Nesse caso, o paciente deverá procurar profissionais específicos, como otorrinola­ringologistas e fonoaudiólogos para melhor avaliação. Caso o paciente não apresente al­terações em exames audiológicos, deve-se in­vestigar outro distúrbio conhecido como Dis­túrbio de Processamento Auditivo Central.

O DPAC é caracterizado por afetar as vias centrais da audição, ou seja, as áreas do cére­bro relacionadas às habilidades auditivas res­ponsáveis por um conjunto de processos que vão da detecção à interpretação das informa­ções sonoras. A principal consequência do dis­túrbio está na dificuldade de processamento das informações captadas pelas vias auditivas. Assim, a pessoa ouvirá perfeitamente a fala humana, mas terá dificuldades em interpre­tar a mensagem recebida. As principais quei­xas em relação ao paciente com esse distúr­bio são: trocas na fala, dificuldades de leitu­ra, escrita, interpretação, atenção, repetição constante da in­formação, dificul­dades de memó­ria e agitação.

Após avalia­ção detalhada, o profissional pode solicitar o exame de Pro­cessamento Au­ditivo Central, que é realizado por fonoau­diólogo especializado e, por meio do resul­tado, podem-se identificar quais habilidades auditivas estão alteradas, podendo orientar sobre qual o melhor método de tratamento para esse paciente.

O paciente com DPAC geralmente é orien­tado a realizar terapia fonoaudiológica, tanto dentro e fora da cabina, onde as dificuldades podem ser trabalhadas por meio da plastici­dade auditiva cerebral e comprovadas com a reavaliação do exame de Processamento Au­ditivo Central e com a melhora no desempe­nho nas atividades cotidianas do paciente.

Artigo da fonoaudióloga Ana Clara Albiero (CRFª 18347). Atende na Rua Barão de Teffé, 405, Jundiaí, SP. Tels. 11-4586-2729, 4522-0597

Edição 224

Setembro 2017

Confira as edições anteriores

© Jornal Mexa-se 2013 todos os direitos reservados.

io! Comunica