Jornal Mexa-se

30 de agosto 2019 às 13:53

Ansiedade: o que ela pode causar

Saúde

30 de agosto 2019

CompartilharCompartilhar

Ansiedade: o que ela pode causar



Ansiedade pode ser considerada nor­mal na vida de todos, desde que ela seja controlada. Quando isso não ocorre, ela pode ser capaz de desencadear comportamentos desagradáveis. A ansieda­de excessiva pode atrapalhar a qualidade de vida, se tornando uma doença ou um distúr­bio de ansiedade.


Pessoas mais ansiosas possuem padrões de pensamentos que podem ser bastante pre­judiciais, costu­mam se preocu­par em excesso e previr sempre o pior, e acabam sofrendo em ra­zão de coisas que nem acontece­ram ainda.

Veja alguns sintomas psico­lógicos e físicos:

Sintomas psicológicos

- Constante tensão ou nervosismo;

- Sensação de que algo ruim vai acontecer;

- Problemas de concentração;

- Medo constante;

- Descontrole sobre os pensamentos, prin­cipalmente dificuldade em esquecer o obje­to de tensão;

- Preocupação exagerada em comparação com a realidade;

- Problemas para dormir;

- Irritabilidade;

- Agitação dos braços e pernas.

Sintomas físicos

- Dor ou aperto no peito e aumento das batidas do coração;

- Respiração ofegante ou falta de ar;

- Aumento do suor;

- Tremores nas mãos ou outras partes do corpo;

- Sensação de fraqueza ou cansaço;

- Mãos e pés frios ou suados;

- Náusea;

- Tensão muscular;

- Dor de barriga ou diarreia.

Se você se identificou com esses sintomas e sente que está mais difícil lidar com os próprios sentimentos, a terapia é a inter­venção mais efi­caz para melho­rar a ansiedade. Ela pode ajudar o paciente a en­tender os fatores do dia a dia que desencadeiam sua ansiedade, reduzir seus sintomas e trabalhar os eventos que o leva­ram a desenvolvê-la. É muito importante o paciente entender que o resultado não acon­tece instantaneamente.

A terapia cognitivo-comportamental foca em problemas específicos e na melhor for­ma de saná-los. O psicólogo não fará julga­mentos a respeito do que você está sentin­do e adotará uma atitude acolhedora, que fará com que você se sinta seguro para fa­lar do problema.

Por Valdirene Crimber, psicóloga.
Contatos: (11) 97329-8622, www.valdirenecrimber.com.br