Jornal Mexa-se

09 de junho 2020 às 09:00

Briga com espelho deve ampliar número de procedimentos estéticos

Estética

09 de junho 2020

CompartilharCompartilhar

Briga com espelho deve ampliar número de procedimentos estéticos

A pandemia de COVID-19 parece ter remodelado o mundo da noite para o dia e criado um ‘novo normal’. Futuros que antes pareciam certos (férias planejadas, festas de casamento, finais de semana com a família, corridas no fim do dia) agora parecem uma realidade distante.


E, em meio a um cenário de incertezas sobre o futuro, somos impactados por notícias sobre famosos que têm falado abertamente dos seus anseios por procedimentos estéticos neste momento. A nossa relação com o espelho está sendo colocada diariamente à prova enquanto permanecemos em isolamento social. Deixando de lado os juízos de valor (ou julgamentos), precisamos entender que pessoas comuns também vivem em conflito com a própria imagem.


Não à toa, o fenômeno de aumento nas buscas por intervenções cirúrgicas com fins estéticos nos últimos anos já vinha sendo analisado. A causa: as redes sociais têm mexido com a autoestima das pessoas. Um estudo da Academia Americana de Cirurgiões Plásticos, divulgada em março deste ano, mostrou que 55% dos pacientes americanos que fizeram cirurgia plástica no nariz foram motivados pelo desejo de sair melhor nas selfies.


Na China, país que enfrentou a pandemia antes de nós e que agora se depara com uma retomada pós-coronavírus, já era possível verificar que muitas pessoas também estavam considerando intervenções estéticas durante a pandemia. O aplicativo chinês SoYoung, que conecta clínicas de cirurgia plástica a pacientes, registrou um crescimento de 134% nas consultas on-line em fevereiro, auge do surto da doença no país. De acordo com fundador e CEO da empresa, Jin Xing, à mídia local, cerca de 40 mil pessoas solicitaram um diagnóstico por vídeo apenas naquele mês.


Se pensarmos sobre como estão nossas vidas neste momento de pandemia e sobre como gostaríamos de estar, cada um de nós listaria uma série de coisas que poderia ser diferente, pois todos estamos passando por algum tipo de dificuldade, e, por isso, sem exceção, cada um de nós já se viu elencando aquilo que mais deseja fazer quando isso tudo passar. Conheço quem não veja a hora de viajar, quem esteja planejando se divorciar, quem quer voltar à academia e também quem deseja fazer alguma cirurgia estética, área em que atuo há 25 anos.


Por aqui, sem auxílio de um app específico como na China, venho atendendo pacientes através de ferramentas de vídeo e é simples constatar os anseios que levam as pessoas a planejarem lipoaspirações, implantes de silicone ou algum outro procedimento estético neste momento complicado no qual estamos vivendo. Os relatos que chegam até mim me fazem acreditar que as motivações neste momento têm relação com algo denominado ‘Teoria da Recompensa’ no qual as pessoas se acham merecedoras de um prêmio após passarem por um grande desafio.


Cunhado pelo professor Victor Vroom no livro "Work and Motivation", de 1964, o conceito diz que as pessoas se esforçam para melhorar seu desempenho ou para conseguir recompensas. Diante de privações como a que estamos vivenciando, parece que o efeito é o mesmo. Haja vista o que aconteceu logo no primeiro dia de reabertura do comércio após fim da quarentena na China: na loja Hermés em Guangzhou, no sul do país, foram gastos US$ 2,7 milhões (R$ 14 milhões).


Durante este período percebi que tenho sido procurado por pessoas que sempre tiveram o sonho de fazer algum procedimento estético e que nunca levaram isso adiante. Agora, o isolamento nos possibilitou muitas reflexões e trouxe à tona os desejos há muito deixados de lado já que existe a sensação de que a vida passa rápido demais para que não façamos o que temos vontade. Além disso, a questão da autoestima também tem ficado ainda mais evidente durante o isolamento. Muito tempo em casa, alimentação nem sempre ideal, sem prática de exercícios físicos e com uma presença inconveniente constante: a do espelho.


De fato, as intervenções estéticas ajudam na autoestima de muitas pessoas que possuem problemas com sua autoimagem. Quando se sentem mais bonitas, ficam mais motivadas a cuidar de si e têm menor chance de sofrer de depressão. Mas, antes de se submeter a um procedimento, essas razões devem ser bem ponderadas para que o procedimento seja realizado pela razão certa e eu faço absoluta questão de que meus pacientes tenham ciência disso. Faça um procedimento estético que acrescente em sua felicidade e jamais busque felicidade através de um procedimento estético. Sua imagem é a melhor coisa que você tem si mesmo e por isso, é extremamente importante se aceitar e se amar.


Aproveite o momento de isolamento para refletir sobre o que realmente é importante em sua vida e encontre sua forma natural de beleza, a essencial. Se perceber que uma lipoaspiração ou implante irá somar àquilo que você já tem de melhor, só então procure um médico da área. Acredite: sua beleza já é completa!  E você: o que planeja fazer quando tudo isso passar?


Por Victor Cutait, Cirurgião Plástico