Jornal Mexa-se

12 de junho 2020 às 09:00

Dançar é uma boa atividade física para quem está acima do peso

Esportes

12 de junho 2020

CompartilharCompartilhar

Dançar é uma boa atividade física para quem está acima do peso

Mais da metade da população adulta brasileira não tem o peso ideal: são 55,7% com sobrepeso e 19,8% com diagnóstico de obesidade, revela os dados da última Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). Esses dados crescentes, somados aos estudos recentes sobre o novo coronavírus, alertam que pessoas com IMC (índice de massa corporal) igual ou superior a 30 - caracterizando a obesidade - são um dos grupos de risco na pandemia pelo Covid-19.


O excesso de peso aumenta, principalmente, o risco de diabetes, hipertensão, os índices de colesterol e triglicérides, além de comprometer o sistema cardiorrespiratório. "Pacientes portadores de obesidade apresentam quadros infecciosos mais prolongados e maior multiplicação do coronavírus. Além disso, não conseguem expandir o tórax adequadamente para obter a quantidade de oxigênio necessária para o organismo e responder aos tratamentos de forma eficaz", explica a médica endocrinologista especialista em medicina do esporte Andrea Fioretti.


Ela ressalta ainda que os obesos, independente da faixa etária, estão no grupo de risco e precisam começar o quanto antes medidas para tratar o sobrepeso. "É possível emagrecer de forma saudável e eficaz em casa, adotando mudanças nos hábitos alimentares e praticando uma atividade física moderada, ao menos 150 minutos por semana".


A dança como atividade física para todos os perfis e idades


Estar sedentário há muito tempo requer cuidado na escolha da atividade física. Ponderar o impacto e optar por uma modalidade que trata prazer e bem-estar, aliando com a segurança de praticar em casa e não correr o risco de lesões, são requisitos que devem ser levados em consideração. "É essencial ter o acompanhamento de um profissional, mesmo que virtualmente, ainda mais neste momento em que estamos enfrentando. Há inúmeros treinamentos disponíveis na internet, mas é fundamental escolher o que trará uma experiência completa e segura", explica Ludmilla Marzano, especialista em educação de Zumba®.


A dança é uma atividade física que pode ser praticada por todas as idades e em qualquer lugar. Além de promover o condicionamento físico, a prática auxilia no emagrecimento e na tonificação muscular. "Em uma hora de aula de Zumba®, por exemplo, é possível queimar até 1000 calorias", ressalta a educadora física.


Além dos benefícios para o corpo, a dança promove a sensação de bem-estar, pois hormônios como a serotonina e dopamina são ativados, resultando em uma sensação de prazer. "Para quem não gosta de praticar atividade física e se vê obrigado a se exercitar para melhorar a saúde, a dança é a modalidade mais recomendada, porque o aluno se desliga dos problemas, se diverte durante a aula e tem como consequência o emagrecimento", completa.


A especialista Ludmilla Marzano explica que inicialmente o aluno precisa dançar coreografias que possuem menos saltos e giros para não forçar a musculatura e as articulações. "A Zumba® Gold - segmento da Zumba voltada à terceira idade e às pessoas que não podem sofrer impactos - é excelente para quem está começando a se exercitar. A medida que o aluno vai retomando a confiança em si e o corpo está mais adaptado aos movimentos, podemos migrar para a Zumba® fitness, uma aula que envolve os mesmos ritmos musicais, mas as coreografias vão exigindo um pouco mais da musculatura e do sistema cardiorrespiratório". Porém, é importante lembrar que o acompanhamento médico é necessário.


Hoje, no Brasil, é possível passar em consulta com especialistas virtualmente, através da telemedicina. Um recurso tecnológico que mantém a segurança do paciente. É o endocrinologista quem vai avaliar cada caso, recomendar a dieta hipocalórica adequada para cada paciente e autorizar a prática da atividade física em casa.