Jornal Mexa-se

14 de junho 2020 às 09:00

Como escolher a escova de dente ideal

Geral

14 de junho 2020

CompartilharCompartilhar

Como escolher a escova de dente ideal

São tantas opções no mercado, que pode ser difícil acertar na escolha da escova de dente. Para ajudar, a dentista e parceira Kess, Luciana Bruzadin, explica as principais diferenças entre os modelos e como escolher a mais adequada, levando em conta a estrutura dos dentes.

CERDAS MACIAS E ULTRAMACIAS

"As escovas de dente macias e ultramacias são formadas por cerdas mais delicadas e numerosas. Hoje, existem modelos que possuem até 10 mil cerdas, o que torna a escovação dos dentes e da gengiva mais suave porém eficaz" esclarece Bruzadin. Em relação a eficácia da higienização bucal com cerdas macias e ultramacias, a dentista explica: "o que determina a limpeza é o tipo (movimento circular de pequena amplitude, em angulação adequada das cerdas em relação a gengiva) e a repetição dos movimentos, e não a força; por isso, essas são as versões mais recomendadas pelos dentistas. Isso porque muitas pessoas exageram na pressão ao escovar os dentes e as cerdas mais delicadas diminuem o risco da boca ser machucada."

CERDAS MÉDIAS E DURAS

"O uso contínuo de escovas de dente com cerdas médias e duras pode causar alguns danos quando há excesso de pressão no processo de escovação, como lesões na mucosa, retração de gengiva e desgaste do esmalte. Com o tempo esses problemas podem evoluir e deixar a raiz dos dentes expostas, podendo causar sensibilidade", explica a especialista. Por esse motivo, Bruzadin recomenda que o uso de escovas de dente com cerdas médias e duras seja feito apenas para higienização de próteses ou aparelhos removíveis.

UNITUFO

As versões chamadas unitufo possuem tufos concentrados na ponta de uma das hastes e servem para complementar a escovação diária. "Por terem a cabeça compacta, esses modelos chegam nos dentes do fundo com maior facilidade, por menor que seja o espaço. Essas versões também são ótimas para a limpeza da margem gengival e para retoques na escovação do dia a dia", explica a especialista.

INTERDENTAL

"A escova interdental tem papel importante na limpeza de aparelhos ortodônticos fixos, próteses fixas e também para espaços interproximais - entre os dentes –, onde o fio dental não age de forma eficiente.  Estabelecer o uso desse tipo de escova é de grande auxílio para a correta higienização bucal", pontua Bruzadin.

FORMATOS

"De modo geral, os formatos com cabeças menores, arredondadas e com cerdas planas e afinadas nas pontas são mais indicados para todos os perfis, já que apresentam chances menores de machucar a boca em algum deslize durante a escovação e são capazes de alcançar melhor todos espaços, proporcionando uma higiene mais eficiente", indica a parceria Kess.

HORA DE TROCAR

Luciana alerta ainda para a hora da troca das escovas de dente. "Três meses é o prazo máximo de vida útil de uma escova, então, após esse período elas devem ser trocadas. Durante o ano, essa troca precisa ser feita pelo menos 4 vezes", indica Bruzadin. "Também é possível que a escova perca a eficácia antes dos três meses de uso. Para identificar, é importante estar atento à deformação das cerdas. Quando elas se deformam, geralmente devido ao uso inadequado, ela perde a função desejada e se torna traumática aos dentes, gengiva e mucosa. Alguns modelos de escova possuem uma faixa colorida que geralmente fica no meio das cerdas ou na ponta. Quando ela perde um pouco da cor ou fica gasta, quer dizer que está na hora de trocar."