Jornal Mexa-se

02 de agosto 2020 às 08:00

É possível recuperar o tônus muscular após a quarentena?

Estética

02 de agosto 2020

CompartilharCompartilhar

É possível recuperar o tônus muscular após a quarentena?

A quarentena fez muita gente ganhar alguns quilinhos e perder massa muscular. Agora, com a flexibilização em andamento, muitas clínicas e consultórios de beleza, bem-estar e estética voltaram a abrir. E um dos pedidos mais frequentes entre homens e mulheres é voltar ao corpo de antes do isolamento.

Quem conseguiu manter a atividade física de alguma forma pode ter minimizado a perda de fibras musculares. Mas para potencializar os efeitos pós-quarentena, o médico Alessandro Alarcão indica a tecnologia HIFEM como a inovação do mercado capaz de recuperar o tônus muscular.

"Os tratamentos corporais sempre foram baseados na redução da gordura localizada e no combate à flacidez de pele. Há muitos anos não surgia alguma tecnologia estética que pudesse ter um resultado realmente significativo para a melhora da flacidez muscular. Com o Emsculpt, podemos potencializar os tratamentos de contorno corporal e ainda colaborar para a qualidade de vida do paciente, com a melhora do equilíbrio das cadeias musculares através da hipertrofia e fortalecimento da musculatura", explica.

Para quem quer evitar qualquer tipo de chances de degradação e perda do volume de músculo, é importante manter uma rotina de exercícios, sob a orientação de um educador físico. E associar a atividade física com o uso da tecnologia é uma boa opção, como orienta o Alarcão. "Em um momento em que o acesso às academias está tão restrito, o Emsculpt vem como uma excelente opção para manter a forma, além de potencializar todos os nossos tratamentos corporais. Com ele, é possível tratar as regiões dos glúteos, abdômen, braços e panturrilhas, sendo que nessas três últimas regiões, além de promover a hipertrofia e fortalecimento muscular, ajuda na queima de gordura local".

Para quem está preocupado com os protocolos de segurança adotados pelas clínicas, o médico destaca que a tecnologia HIFEM é executada por profissionais capacitados, e que o tratamento pode ser feito por quem segue em quarentena, com o respeito das medidas sanitárias apropriadas e o uso de luvas, máscaras e higienização completa.