Jornal Mexa-se

20 de março 2021 às 07:00

Em busca da felicidade

Saúde

20 de março 2021

CompartilharCompartilhar

Em busca da felicidade

Um ano se passou desde a chegada do novo coronavírus no Brasil, e de lá pra cá nos vimos em dias de muitas preocupações, incertezas e, muitas das vezes, tristeza. Para o pensador carioca Pedro Salomão, autor do livro Valor Presente, estamos vivendo um período introspectivo. "O ser humano, em momentos como esse, precisa olhar para dentro, para si mesmo. Esse olhar nos possibilita libertar de coisas que nos afastam da nossa felicidade", explica o escritor. E, por falar em felicidade, no dia 20 de março é comemorado o Dia Internacional da Felicidade!


O palestrante dá dicas citadas em seu livro para afastar a negatividade quando ela ameaçar tomar conta e lembrar que a felicidade está nas coisas mais simples da vida, mesmo quando tudo parece fora do lugar. "Quantas vezes pensamos que o mudo ia acabar, mas não acabou? Nesta pandemia, tivemos a chance de recomeçar!" reflete Salomão.


Desacelere e curta os momentos simples


Nós temos a capacidade de encontrar a felicidade, de sorrir e manter o positivismo, mesmo em tempos difíceis. Aproveite para fazer isso ao lado da sua família. O home office nos dá essa oportunidade de trabalhar e ao mesmo tempo estar na presença dos filhos, companheiros, familiares. Para quem não pode trabalhar de casa, desacelerar é essencial. Quem vive com pressa, está sempre no raso. Não se aprofunda, faz de tudo um pouco, mas não foca em nada, muito menos no que realmente é importante.


Muitos de nós, na correria do dia a dia, deixamos de dar um simples bom dia, acompanhado do nosso melhor sorriso, ao porteiro do nosso prédio. Deixamos de dar um forte abraço aos nossos filhos, aos nossos pais. Quando fazemos isso, praticamos o isolamento emocional, que é muito mais nocivo e grave do que o isolamento social.


Menos é mais para a nossa mente


É o momento de esvaziarmos nossas mentes. Essa necessidade de achar que precisamos saber de tudo e de todos, a que eu chamo de obesidade intelectual, causa na gente a anorexia sentimental. Somos especialistas em acumular informações, mas não temos sentimentos dentro de nós.


Otimismo


Precisamos ser otimistas, mas sem esquecer a realidade lá fora. Nós temos que atuar com o que temos e da melhor forma que podemos para construir um mundo melhor. Que entendamos de uma vez por todas que, nesse mundo pandêmico, as narrativas perdem força, mas a nossa capacidade de mudar o mundo nunca esteve tão presente. Que a gente saiba entender que precisamos cuidar das pessoas que estão próximas da gente, sejamos menos inconsequentes, sejamos melhores na nossa capacidade de construirmos a nossa melhor versão.