Jornal Mexa-se

27 de março 2021 às 07:00

Chegada do outono: dicas para asmáticos evitarem o PS durante a pandemia

Saúde

27 de março 2021

CompartilharCompartilhar

Chegada do outono: dicas para asmáticos evitarem o PS durante a pandemia

A média brasileira em casos de mortes pelo vírus COVID-19, que estava em queda desde outubro, cresceu. No último mês de fevereiro o Brasil registrou a maior média de casos de COVID-19 desde março de 2020, ultrapassando infelizmente mais de 2.000 óbitos diários. Entre os tipos de pacientes que são infectados pelo Covid-19, grande parte já possui doenças pré-existentes como as respiratórias crônicas, destacando-se a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica ("DPOC") e a asma como as mais prevalentes.


A asma atinge mais de 20 milhões de pessoas no Brasil e é usualmente caracterizada pela inflamação crônica das vias aéreas, sendo responsável por 7 óbitos por dia no país. Permanece como uma das maiores causas de falta de ar e chiado no peito em crianças, adolescentes e adultos. Seus sintomas podem causar sérios impactos na vida do paciente, como insônia, fadiga, diminuição do nível de atividade e faltas na escola e no trabalho. Ainda que não tenha cura, a asma, adequadamente tratada, pode ser controlada, permitindo a diminuição de riscos e, desta forma, a restauração da qualidade de vida.


Porém, durante a pandemia de COVID-19, alguns pacientes não conseguiram manter seus tratamentos por medo de sair de casa ou do possível contágio. A interrupção do tratamento, sem dúvida, pode levar o paciente a confundir crises exacerbadas de asma com sintomas de contaminação por Covid-19. Daí a importância de abordar amplamente este assunto, conscientizar a população sobre a importância de manter o tratamento e até em aumentar o acesso a medicamentos que tratem da condição, visto que o diagnóstico precoce e tratamento adequado reduzem taxas de exacerbação (crises respiratórias), internação hospitalar e a mortalidade.


O médico pneumologista dr. José Roberto Megda Filho lista 8 dicas práticas que pacientes com doenças respiratórias crônicas, como asma e DPOC, podem seguir para reduzir a frequência das crises e manter a qualidade de vida, mesmo durante a pandemia.



  • Seguir regularmente o tratamento prescrito;

  • Vacinar-se contra a COVID-19 (pacientes asmáticos graves foram incluídos como prioridade), contra a gripe (influenza) anualmente e contra a pneumonia de acordo com as diretrizes e o Plano nacional de Imunização (PNI) em vigor;

  • Realizar atividades físicas regularmente, seguindo o plano de orientação médica;

  • No caso do adulto, caso seja fumante, procurar ajuda do seu (sua) médico de confiança ou de um (a) pneumologista para cessar o hábito tabagista.

  • Seguir uma dieta com baixo teor de carboidratos se estiver com sobrepeso ou obeso, conforme orientação de um(a) nutricionista;

  • Discutir com seu médico um plano de ação a ser seguido, caso haja uma piora dos sintomas.

  • Procurar um serviço de saúde se não apresentar melhora seguindo o plano de ação proposto no item 6, se estiver com aumento significativo da falta de ar.

  • Caso seja necessário ir até um hospital ou a consultas médicas, fazer uso de máscara facial de três camadas de tecido cobrindo completamente o nariz e a boca, evitar aglomerações, manter o distanciamento social e procurar sempre lavar as mãos ou usar o álcool gel frequentemente.