Jornal Mexa-se

07 de abril 2021 às 07:00

O poder da amizade na infância

Geral

07 de abril 2021

CompartilharCompartilhar

O poder da amizade na infância

Se a importância da amizade é tão latente na vida adulta, na infância ela é essencial para que as crianças construam suas personalidades, valores e entendam sua própria existência e a relação com o outro. De acordo com a pedagoga Cláudia Onofre, fazer amigos ajuda os pequenos a resolverem conflitos, aprenderem a lidar com regras e frustrações e testarem forças e limites. "A relação de amizade entre adultos é sempre pautada em concessões, já entre as crianças é uma relação de igualdade. Quanto maior e mais intensa for essa convivência, mais preparada ela estará para enfrentar todas as etapas do desenvolvimento até a vida adulta", conta.

A IMPORTÂNCIA DOS PAIS NA CONSTRUÇÃO DAS RELAÇÕES COM O PRÓXIMO

Construir amizades pode ser um desafio, mas os resultados são os mais satisfatórios possíveis. Segundo Claudia, ao ter um bom círculo de amigos, as crianças desenvolvem a sensação de bem-estar, trabalham a autoestima e são influenciadas, diretamente, no rendimento escolar e relação familiar. Por isso, a profissional faz um alerta importante aos pais. "É preciso acompanhar de perto essa fase de criação de laços. É importante que os pais, ao identificarem pontos que precisam ser trabalhados, ajam de maneira imediata. Afinal, como dito, os amigos acabam influenciando em vários pontos de nossas vidas. E em algumas vezes, o comportamento é reflexo que algo não anda bem e pode vir a influenciar a criança em relação a convivência", comenta.

Segundo a profissional, quando a criança começa a apresentar sinais de agressividade na fala e nas atitudes, falta de empatia, exaustão, tristeza, mudança na rotina do sono, volta a fazer xixi na cama, não quer mais dormir sozinha, perde o apetite ou começa a comer exageradamente, é sinal de que algo não está bem. "É importante que os pais consigam identificar o mais rápido possível essas mudanças. Em muitos casos, uma conversa dentro de casa e estar mais presente na rotina pode resolver. Mas é fundamental ter clareza e tranquilidade para entender que certas situações pedirão a ajuda de um profissional", completa Claudia.

A PANDEMIA E AS CAUTELAS COM A REINSERÇÃO SOCIAL

Com a pandemia causada pelo COVID-19 o impacto na vida social foi muito grande. Longe das escolas, a crianças transferiram a rotina de amizade para as telas dos eletrônicos. Estudar, brincar e se manter próximo dos familiares e amigos passou a ser tudo virtual. Porém, Claudia reforça que a necessidade da interação presencial é insubstituível e de extrema importância. "Apesar dos benefícios diretos que a tecnologia trouxe em tempos desafiadores, as crianças e jovens precisam de convivência, troca e afetividade. Por isso, a preocupação com a saúde mental e as consequências que esse momento trará para o futuro está cada vez maior", explica.

Cláudia conta que neste período de volta às aulas, os pais e as escolas possuem um papel fundamental para descontruir o sentimento de isolamento social. "Para algumas crianças tudo voltará à normalidade, e vida que segue; mas, infelizmente, teremos muitas que terão dificuldade nessa retomada, seja porque já eram mais tímidas, tiveram dificuldade de convivência familiar, porque a pandemia trouxe uma experiência ruim com o isolamento ou até mesmo com a perda de um familiar ou amigo. O processo de desconstrução deverá ter como palavra de ordem acolhimento e muito amor. Nós adultos seremos responsáveis em garantir neste processo a segurança e estabilidade emocional", finaliza.

REFORÇANDO O VALOR DA AMIZADE COM A LEITURA

A leitura é capaz de acompanhar todas as fases do crescimento infantil e ajudar os pais a lidarem, de maneira lúdica, com cada situação. Em relação à construção das amizades, não é diferente! Os livros reforçam para as crianças o quão divertido é fazer amigos, a importância que eles têm em nossas vidas e como é bom ter companhia para explorar novidades e enfrentar os desafios. São aprendizados que ajudam os pequenos a chegarem mais preparados para circunstâncias da vida real.