Jornal Mexa-se

23 de abril 2022 às 07:00

Cinco impactos positivos das atividades físicas na saúde mental

Esportes

23 de abril 2022

CompartilharCompartilhar

Cinco impactos positivos das atividades físicas na saúde mental

A procura por um equilíbrio mental vem ganhando cada vez mais importância entre as mulheres, sobretudo em um mundo que convive há mais de dois anos com uma pandemia. Porém, muitas vezes, esse objetivo acaba não sendo relacionado com um fator determinante para essa meta: a prática de exercícios físicos. 


A esta altura, já conhecemos muito bem os benefícios físicos dos exercícios – pressão arterial mais baixa, melhor resistência, músculos maiores, mais fortes e mais eficientes. No entanto, os estudos mais recentes mostram que uma rotina mais atlética também garante consequências positivas para a mente por meio de diversos fatores.


Diante desse cenário, o Freeletics convidou a coach de psicologia positiva Dal Banwait para explicar como os treinos podem impactar positivamente no bem-estar mental da mulher. Confira:



  1. Redução dos sintomas de ansiedade e depressão


Segundo a OMS, estima-se que cerca de 300 milhões de pessoas do planeta sofrem de depressão, ao passo que outras 280 milhões convivem com ansiedade. Totalmente relacionada à produção de hormônios do “bem-estar”, a prática de exercícios físicos segue sendo um dos remédios mais eficazes no que diz respeito a esses dois problemas. 


“Exercícios físicos aumentam nossos níveis de endorfina, dopamina e serotonina, sendo altamente indicados para aliviar muitos dos sintomas que acompanham aqueles que sofrem com ansiedade e depressão, além de muitas vezes servirem como uma espécie de válvula de escape para a pessoa que convive com essas doenças”, explica a especialista.



  1. No stress


Outro fator estritamente ligado à prática regular de exercícios físicos é o estresse. Isso porque estudos recentes comprovam que uma rotina de treinos reduz o nível de cortisol, hormônio altamente presente no corpo de quem enfrenta esse esgotamento mental. 


“Como resposta imediata ao estresse, as glândulas suprarrenais produzem o cortisol. Se os níveis desse hormônio permanecerem altos por um tempo prolongado, a pessoa desenvolverá um aumento na gordura abdominal, elevação da pressão arterial, desequilíbrio do açúcar no sangue e até mesmo perda de massa muscular”, pontua a parceira do Freeletics.


Vale ressaltar ainda que as atividades físicas são essenciais para fortalecer a “conexão” entre os sistemas nervoso central e simpático, coordenando e colaborando para melhores respostas do corpo ao estresse.



  1. Confiança e motivação


Autoconfiança, autoestima e motivação são alguns dos pilares mentais fundamentais para uma mente equilibrada, e, consequentemente, uma boa qualidade de vida. Esses três itens podem ser elevados a um nível satisfatório simplesmente graças a uma rotina equilibrada de exercícios físicos.


“Esse três fatores atuam de forma muito interligada entre si. Muitas vezes, quando realizamos alguma ação que gere um aumento significativo em um desses pontos, os outros dois acompanham esse crescimento. No entanto, o impacto positivo da prática regular de exercícios gera avanços contínuos nesses três pilares, fomentando esse ciclo de forma extremamente positiva”, garante Dal Banwait.


Além disso, segundo a especialista, vale ressaltar ainda que os benefícios positivos vão além da questão da saúde, trazendo vantagens em diversos setores da vida humana, como humor, produtividade e vigor. 



  1. Cérebro mais forte


Apesar de não ser tratado como um músculo, o cérebro é um dos órgãos humanos que mais se beneficia da prática atlética. Estudos mostram que exercícios cardiorrespiratórios, ou o chamado cardio, são responsáveis por criar novas células cerebrais e, dessa forma, melhoram o desempenho geral de todo o corpo.


“Os exercícios físicos fortalecem nosso hipocampo - a parte do cérebro responsável pela memória e pelo aprendizado. Além disso, não podemos esquecer o aumento de energia e criatividade que sentimos após os exercícios”, avalia a psicóloga.



  1. Sono significa qualidade de vida


Tão importante quanto o nível de esforço colocado no treino é o descanso que será dado ao corpo após essas atividades. E, por mais paradoxo que pareça, a ligação da prática de exercícios físicos ao sono está muito próxima, fazendo com que cada um se favoreça da qualidade do outro, formando mais um ciclo positivo para a mente.


“As endorfinas liberadas durante os exercícios nos ajudam a regular nosso ritmo circadiano - nosso relógio interno -, que sinaliza ao nosso cérebro quando dormir e acordar. Os exercícios aumentam ainda a duração do sono de "ondas lentas", que é como chamamos a fase mais importante e que ajuda a manter o metabolismo equilibrado”, finaliza Dal Banwait.


Para a psicóloga, além de ser fundamental para a recuperação física, uma boa noite de sono também é importante para reduzir o nível de cortisol, que, como dito anteriormente, é o hormônio responsável pelo estresse.