Jornal Mexa-se

06 de maio 2022 às 07:00

Depressão é tema de livro do artista plástico jundiaiense Edvaldo Catini

Geral

06 de maio 2022

CompartilharCompartilhar

Depressão é tema de livro do artista plástico jundiaiense Edvaldo Catini

“Uma luta de 12 anos, que não se encerra quando temos alta; foi uma longa jornada que só quem vive consegue descrever”. Essas são palavras do artista plástico jundiaiense Edvaldo Escudero Catini, que acabou de lançar o livro O Passado Traz Depressão Para o Futuro?, no qual conta sua história, sobre a depressão que o acompanhou durante anos, suas internações em clínicas psiquiátricas para se tratar, sobre a importância da ajuda profissional e da família. Uma história da qual tirou uma lição de vida: “o que você pinta nos outros é o que está dentro de você. Eu decidi pintar amor, perdão e gratidão”.


Segundo Edvaldo, o livro surgiu depois de um sonho que teve com uma pilha de livros e libélulas. Ele entendeu como uma mensagem para escrever o livro com sua história de vida, que serve como um alerta para todas as pessoas que passam por um processo depressivo, para que entendam o que é realmente a depressão, e se cuidem. “Por tudo que passei com várias doenças mentais, com diagnóstico de depressão e distúrbio bipolar, com surtos psicóticos e pensamentos suicidas, com meu relato posso ajudar alguém de alguma forma, pois a última coisa em que pensamos é tratar da nossa mente - ela dá alertas de que não estamos bem, mas não prestamos atenção a eles”.


A depressão, que teve início na idade adulta, foi o que levou Edvaldo a ter aulas de pintura como forma de distração, a se expressar em telas, e se tornar o artista E. Catini, com exposições realizadas em todo o Brasil e vários países no exterior. E foi ela também que o levou a abandonar os quadros. “No início achei que era estresse, mas os sintomas começaram a ficar mais intensos, passei a ter medo de fazer coisas simples, como ir ao cinema, e depois de um tempo fiquei prostrado na cama, sem nem banho tomar”, conta ele.


Depois de passar por vários médicos, terapias e tratamento em duas clínicas psiquiátricas, o artista plástico - e agora escritor - teve alta, está de volta ao ateliê e a seus quadros, e tem uma certeza: o amor e apoio de sua família, principalmente de sua esposa, o salvaram. “Hoje, com sentimentos mais alegres, sinto como tudo que vivi foi importante, e que estou preparado para seguir minha vida”. E finaliza dizendo que os transtornos mentais, responsáveis por cerca de 97% dos suicídios, não são frescura, como chegou a ouvir de amigos. “Não guarde, não se isole, converse, busque ajuda; não há como sair dessa sozinho”.


Para adquirir o livro é só digitar no google: O Passado Traz Depressão para o Futuro?- Autografia ou abrir o arquivo em um leitor de livro digital (e-reader).