Jornal Mexa-se

10 de junho 2022 às 08:00

Games são alternativa para jovens com problemas de transtornos psicológicos

Saúde

10 de junho 2022

CompartilharCompartilhar

Games são alternativa para jovens com problemas de transtornos psicológicos

O diagnóstico de ansiedade e depressão aumentou em 25% no mundo desde o início da pandemia, sendo jovens e mulheres os mais afetados. É o que aponta o resultado de um estudo científico realizado pela Organização Mundial da Saúde, divulgado em março deste ano. Em outro estudo, divulgado pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), calcula-se que, globalmente, mais de um em cada sete jovens com idade entre 10 e 19 anos viva com algum transtorno mental diagnosticado.


Ainda, segundo o estudo, transtornos mentais diagnosticados - incluindo transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), ansiedade, autismo, transtorno bipolar, transtorno de conduta, depressão, transtornos alimentares, deficiência intelectual e esquizofrenia - podem prejudicar significativamente a saúde e educação de crianças, adolescentes e jovens no futuro. Entretanto, neste período de pandemia, algo antes considerado improvável, tem surgido como alternativa para melhorar o bem-estar dos jovens: os games.


Considerados como vilões, por anos, especialmente os jogos online, considerados responsáveis por afetar a saúde psicológica dos jogadores, o "jogo" parece ter mudado de lado. Em uma pesquisa recente, pesquisadores da Universidade de Oxford, apontam que jogar videogame pode ser benéfico para a saúde mental.


"Embora, o isolamento do jogador possa parecer apenas um escapismo, alguns estudos já surgem para mostrar como os games têm um papel muito importante na saúde mental das pessoas, desde o trabalho direto com a mente, reforçando a memória, até trabalhando diretamente em questões que envolvam foco e concentração", explica Rogério Felix, diretor de formação e desenvolvimento de games da ZION.