Jornal Mexa-se

18 de junho 2022 às 08:00

5 fatores que influenciam na sua cirurgia plástica e atrapalham a cicatrização

Estética

18 de junho 2022

CompartilharCompartilhar

5 fatores que influenciam na sua cirurgia plástica e atrapalham a cicatrização

Os cuidados que você mantém após uma cirurgia plástica influenciam na sua recuperação e na qualidade dos seus resultados. O período após a cirurgia é como uma continuação do procedimento. Dessa forma, o comprometimento do paciente com as orientações médicas do pós-operatório influenciam o resultado e a cicatrização da plástica. o cirurgião plástico da Clínica Sabath, dr. Hugo Sabath.
 


Segundo o cirurgião plástico da Clínica Sabath, dr. Hugo Sabath, em algumas cirurgias plásticas, é importante ressaltar os cuidados com o curativo, como por exemplo a rinoplastia. Alguns pacientes têm receio de não conseguir respirar direito devido a um tampão de gaze que deve ser usado por 24 horas, mas é totalmente possível respirar pela boca. 


Já na mamoplastia redutora, o primeiro curativo também será removido após 24 horas, porém será necessário utilizar uma microporagem nos locais onde houveram incisões por cerca de 30 dias. "É essencial informar-se com o seu cirurgião plástico sobre como serão os curativos e como você deverá lidar com eles, inclusive a frequência de trocas e a maneira correta de higienização da região e saber identificar quando é necessário o auxilio de outra pessoa." salienta o Dr. Sabath. 


Cultivar de bons hábitos sempre auxiliará no processo de cicatrização. Além disso, os exames realizados e solicitados pelo cirurgião no pré-operatório são fundamentais para que tudo ocorra com baixos riscos para o paciente. "A cicatrização está totalmente ligada à sua saúde e responsabilidade consigo mesma", diz o cirurgião plástico, que cita 5 fatores que atrapalham na sua cicatrização:


Carência de vitaminas
Os cuidados com a alimentação são muito importantes. Quanto mais leve e nutritiva for a sua dieta no pós-operatório, mais rápida será a sua cicatrização. A dica é evitar alimentos pesados, gordurosos e muito calóricos, dessa forma evitando a sobrecarga ao corpo com o processo de digestão. 


Alcoolismo
O álcool afina o sangue e aumenta o risco de pacientes terem sangramento e uma recuperação muito mais prolongada. Sem falar que os remédios para a dor e anti-inflamatórios não funcionam bem, tendo um curto efeito. 


Tabagismo
Fumantes têm um risco duas vezes maior de apresentar complicações na cicatrização das feridas operatórias do que aqueles que não fumam. 


As toxinas presentes no cigarro causam a redução na dimensão dos vasos sanguíneos, prejudicando a circulação sanguínea consequentemente prejudicando a cicatrização e recuperação. 


Na rinoplastia por exemplo, o fumo deixa a mucosa nasal mais sensível, podendo até mesmo interferir nos resultados. 


Na lipoaspiração e abdominoplastia, o cigarro aumenta os riscos de necrosa, trombose, embolia pulmonar, acúmulo de líquido e afastamento das partes da incisão. 


Descaso com o curativo e repouso
É comum ficar com uma certa insegurança com a movimentação do corpo nos primeiros dias, pois foi mexido nos tecidos e é normal ter uma sensação diferente, além do receio de sentir dor. Porém de fato é necessário evitar movimentos bruscos na região operada, pois isso pode gerar um deslocamento dos tecidos recém posicionados ou causar ruptura dos pontos, o que irá comprometer a cicatrização e os resultados pós cirúrgicos. E além disso, se houver lesão pode-se causar muita dor. 


Não realizar a drenagem linfática pós cirurgia
O Dr. Hugo Sabath finaliza ressaltando a importância de um dos principais cuidados pós cirurgia, a drenagem linfática. Esse processo é fundamental para ajudar o corpo a eliminar os líquidos acumulados depois do procedimento cirúrgico, reduzindo os inchaços.

A região operada sofre um processo inflamatório que causa edemas (as manchas roxas e escuras), falta de sensibilidade e dor. Com a drenagem esse líquido é direcionado para os vasos linfáticos para ser eliminado pela urina. 


Na lipoaspiração e lipoescultura, por exemplo, a drenagem linfática pode ser considerada parte do processo operatório, pois sem ela aumentam as chances de formação de fibroses (cicatrizes internas endurecidas), deixando o tecido com sensação de "repuxando". 


A drenagem também faz parte do pós-operatório de outras cirurgias, como a rinoplastia, blefaroplastia, mamoplastia, abdominoplastia, etc., pois diminuindo o inchaço, além de auxiliar na recuperação também é possível visualizar melhor os resultados.